Planalto quer inverter narrativa da pandemia

Planalto quer inverter narrativa da pandemia

Coluna do Estadão

25 de agosto de 2020 | 05h00

Reprodução

Enquanto prosseguiu no ataque à imprensa e ditou, mais uma vez, a pauta de debates, Jair Bolsonaro deu início, junto com o general Eduardo Pazuello, à estratégia de colocar na praça nova narrativa para ser replicada por apoiadores: quer trocar o papel de “genocida”, que a oposição tenta lhe imputar, pelo de “salvador de vidas”. Se vai colar ou não, o tempo dirá. Até lá, o presidente monopoliza as atenções e se esquiva de debates e projetos importantes para o País: o futuro da Amazônia, o teto de gastos, as reformas, a retomada do crescimento…

Vida real. Para além das narrativas, o governo não conseguiu colocar em pé o Renda Brasil. Sem falar no “Plano Marshall” do general Braga Netto. Aliás, descobrir o “pipeline” do governo é um dos grandes mistérios da pandemia.

Olha só. Manchete da Agência Brasil: Bolsonaro defende protocolo de tratamento precoce contra covid-19; presidente reforçou que prerrogativa do tratamento é dos médicos.

Testagem… O secretário de Saúde do Maranhão, Carlos Lula, vai apresentar hoje os dados do “inquérito sorológico” no Estado, feito em parceria com a Universidade Federal do Maranhão, para saber quantas pessoas já tiveram o coronavírus.

…alta. Quem teve acesso aos números se disse espantado porque eles são muito altos. Mas há um lado positivo: a taxa de mortalidade no Maranhão está baixa: menos de um por cento.

Diz aí. Bolsonaro ameaçou e não explicou: por que Fabrício Queiroz depositou R$ 89 mil para Michelle? Cabe também perguntar: todos os mortos pela covid-19 são “bundões”, como disse o presidente? 115 mil…

SINAIS PARTICULARES.
Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro

Ilustração: Kleber Sales

É isto? Em vídeo, o secretário estadual de Esportes do governo paulista, Aildo Ferreira, anunciou a retomada da prática de modalidades de “contato físico, coletivas e praticadas em quadras” nos municípios que estejam na fase amarela do Plano São Paulo.

Ou isto? O Centro de Contingência do Coronavírus, porém, pede calma. A liberação, no plano, se refere a esportes profissionais de quadra com regras de retomada semelhantes às do futebol profissional.

CLICK. André Mendonça (à esq.), Jorge de Oliveira e Rolando de Souza sobrevoaram área dos 127 ha de plantação de maconha erradicada na Operação Nova Aliança.

Coluna do Estadão

Vem aí. Já está praticamente pronta a decisão do ministro Celso de Mello sobre o depoimento do presidente Jair Bolsonaro no inquérito que apura se houve interferência política do chefe do Executivo na PF. Como o ministro recebeu alta no domingo, depois de uma cirurgia, a decisão deve sair nos próximos dias.

Bolão. A expectativa de ministros do STF: decano determinar que o presidente dê o depoimento pessoalmente ou por videoconferência, e não por escrito, como quer o Planalto.

LEIA TAMBÉM: Oposição usa caso de Flordelis para pressionar pela volta do Conselho de Ética da Câmara

Ajudinha. A 6ª Pesquisa de Impacto da Pandemia nos Pequenos Negócios, realizada pelo Sebrae em parceria com a FGV, apontou que 38% das micro e pequenas empresas que receberam orientação da entidade expandiram as vendas online durante a pandemia.

Ops. Entre os empresários que não buscaram o apoio do Sebrae, esse percentual é de 24%. O levantamento foi realizado com a participação de 6.506 empresários de todos os estados e DF, entre os dias 27 e 30 de julho.

Boa ideia. A pesquisa mostrou também que foi maior a proporção de micro e pequenas empresas que mudaram seu modelo de negócio após contato com equipe técnica do Sebrae (14%). Já entre os que não buscaram a instituição durante a pandemia, esse percentual foi de 10%.

PRONTO, FALEI! 

Foto: Alex Pazuello

Arthur Virgílio Neto, prefeito de Manaus: “Provável novo presidente dos EUA, Joe Biden, foi direto: ‘Presidente Bolsonaro, mude sua danosa política ambiental ou, se eleito presidente, congregarei o mundo para mudá-la’.Defender democracia e meio ambiente, respeitar índios, governar com eficácia, isto sim legitima o Brasil a ser dono indiscutível do seu território. O resto é conversa de ‘estadista’ de beira de riacho, incompetente, irresoluto e inconsequente”, sobre as recentes manifestações de Joe Biden em relação ao desmatamento na Amazônia.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA. COLABOROU RAFAEL MORAES MOURA.

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: