Planalto exonera assessor que falou de ‘abordagem antiprofissional da imprensa’ em Davos

Planalto exonera assessor que falou de ‘abordagem antiprofissional da imprensa’ em Davos

Tânia Monteiro

28 de janeiro de 2019 | 21h18

Foto: Wilton Junior/Estadão

O Diário Oficial da União publicou nesta segunda-feira, 28, a exoneração do servidor Tiago Pereira Gonçalves, da Secretaria de Comunicação da Presidência da República (Secom) que, durante a viagem a Davos, na Suíça, disse aos jornalistas que o presidente Jair Bolsonaro cancelou a entrevista que concederia por “abordagem antiprofissional da imprensa”.

Tiago Pereira, que tinha cargo de DAS-4 e ganhava R$ 10,3 mil, era um dos encarregados, durante a viagem, de fazer o contato com os jornalistas. Apesar de estar na equipe do Planalto, durante a campanha presidencial fez ataques abertos contra Jair Bolsonaro nas redes sociais e não escondia sua ira contra o presidente.

Em outubro, ele compartilhou um vídeo da campanha do #EleNão, no qual o cantor Zeca Baleiro se refere a Bolsonaro como “capiroto” e “satanás”. Tiago Pereira, que fez campanha aberta contra Bolsonaro nas eleições, já trabalhou no gabinete do deputado Vicente Cândido (PT-SP).

Tudo o que sabemos sobre:

Palácio do PlanaltoDavosJair Bolsonaro

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.