Planalto espera viés de alta nas pesquisas

Planalto espera viés de alta nas pesquisas

Coluna do Estadão

03 de dezembro de 2019 | 05h00

Jair Bolsonaro. FOTO: MARCOS CORRÊA/PR

O Palácio do Planalto acredita que a recente e sensível melhora em indicadores econômicos do País será refletida na avaliação do governo Jair Bolsonaro neste fim de primeiro ano de mandato. O resultado da economia poderá não significar necessariamente uma redução nos índices de ruim/péssimo, mas poderá elevar, na outra ponta da balança, o porcentual de ótimo/bom do presidente. Ao menos essa é a tendência demonstrada pelas sondagens disponíveis neste momento e corroborada por pesquisadores independentes ouvidos pela Coluna.

Futuro. Para um desses pesquisadores, se confirmada, a tendência de alta do governo estará relacionada com a expectativa de que a crise está passando e, por isso, a vida financeira das famílias vai melhorar nos próximos meses.

Bandagem. Outros fatores pró-governo seriam o menor endividamento das famílias em relação ao começo do ano e o estancamento da sangria do desemprego, apesar de o flagelo ainda atingir milhões de brasileiros.

Na… Outro pesquisador, porém, alerta: somente a divulgação dos índices positivos não vai resolver a vida de Jair Bolsonaro no médio e longo prazos.

…vida… Alta nas vendas do comércio, juros em baixa, inflação controlada e indicadores positivos da indústria funcionam para elevar a esperança, o otimismo de fim de ano, mas são a volta do emprego e o crescimento sustentável que garantem governos.

…real. Em outras e mais claras palavras: para uma consolidação da boa avaliação do governo Jair Bolsonaro, será preciso o brasileiro vivenciar a melhoria na economia, para além dos indicadores econômicos.

Será? Mais por obra de seus descaminhos do que por cálculo político, o governo Bolsonaro pode passar incólume ao teste das urnas em 2020. Até agora, não tem candidatos nas principais capitais do País.

Xi… A situação está mais enrolada para Bolsonaro em São Paulo e no Rio, onde as duas opções postas à mesa do presidente encontram resistências: José Luiz Datena e Marcelo Crivella, respectivamente.

Piso. Um deputado fã de Luciano Huck, e não apenas por causa do sucesso dele na TV, avalia que o apresentador teria hoje, se decidisse assumir de vez o papel de político, uma bancada com pelo menos 50 nomes na Câmara e outros tantos no Senado.

Tabela. A ministra Damares Alves tem reunião marcada este mês com a CBF. Quer a ajuda da entidade para divulgar campanhas de sua pasta em jogos do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil no ano que vem. Torcedora do Corinthians, ela é fã de futebol.

SINAIS PARTICULARES.
Damares Alves, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES/ESTADÃO

No lugar certo. A Empresa Metropolitana de Águas e Energia (Emae) de São Paulo lançou ação para conscientizar a população sobre o descarte correto de detritos no Rio Pinheiros e em toda a capital, além de lembrar que alguns materiais levam dezenas de anos para se decompor.

Largada. Ontem, o governo paulista assinou os primeiros contratos com as empresas que estão iniciando parte dos pacotes de obras do projeto Novo Rio Pinheiros, que prevê devolver o rio limpo aos paulistanos até 2022.

CLICK. Na margem do Pinheiros (SP), próximo à estação da CPTM, escultura em forma de peixe, feita de sucata e preenchida com lixo retirado das águas do rio.

FOTO: COLUNA DO ESTADÃO

PRONTO, FALEI!

Gustavo Fruet. FOTO: JF DIORIO/ESTADÃO

Gustavo Fruet, deputado federal (PDT-PR): “Toda generalização é perigosa, equivocada, desinforma e provoca preconceito”, sobre novo presidente da Funarte, Dante Mantovani, ter dito que o rock leva ao aborto.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Tudo o que sabemos sobre:

Jair Bolsonaro

Tendências: