Planalto em alerta para soberania de reservas

Planalto em alerta para soberania de reservas

Coluna do Estadão

30 de agosto de 2019 | 05h00

Vista aérea da Raposa Serra do Sol. FOTO: JF DIORIO/ESTADÃO

O Planalto trata como perigo real a perda de soberania sobre terras demarcadas da Raposa Serra do Sol e de áreas ianomâmis na fronteira norte do País, ricas em ouro e nióbio. De acordo com um conselheiro de Jair Bolsonaro, a Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT) abre brecha para que os índios pleiteiem a emancipação. Segundo esse auxiliar, muito próximo do presidente, os índios da região já têm território e língua própria. Se fizerem hino e bandeira, podem pedir reconhecimento como nação na ONU.

Precedente. Os militares citam como exemplo a emancipação da nação indígena guarani Charagua Iyambe, em 2017. Antes, pertencia à Bolívia.

Ocupar… Para evitar a influência de nações estrangeiras, o governo Bolsonaro vê com bons olhos o projeto em tramitação na Câmara que permite o arrendamento de terras indígenas para a agropecuária.

…e resistir. O efetivo militar de 30 mil homens é tido como insuficiente. Considerando que andam em duplas, cada uma seria responsável por área de 80 quilômetros quadrados.

Atrasado. Há também uma dificuldade tecnológica para vigiar a região. O Sisfron, sistema de monitoramento por satélite, já está defasado antes mesmo de começar a funcionar. Os recursos do projeto foram contingenciados.

Penúria. O comandante do Exército, Edson Pujol, enviou ofício dispensando os quartéis do expediente nas segundas-feiras de setembro. Com orçamento contingenciado, pretende economizar com água, luz e alimentação dos soldados.

Futuro… Diante do descontentamento com seu partido, o líder do PSL no Senado, Major Olimpio, recebeu um convite do colega Kajuru (GO) para se filiar ao Patriota. “Vou ser líder do MSP, o movimento dos sem partido”, brincou.

…em aberto. Mas, falando sério, ele já recebeu convites do Podemos e do PL, sem contar o do próprio Kajuru. O major, em seu primeiro mandato, avalia ainda ficar sem partido, ao menos por um tempo, como o colega Reguffe (DF).

SINAIS PARTICULARES
Major Olimpio, senador (SP)

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES/ESTADÃO

Faltou… O presidente da Comissão Especial da Reforma da Previdência na Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), estranhou a declaração de Rodrigo Maia sobre aprovar a famosa PEC paralela até o fim do ano.

…combinar. “Se quando eram só Estados e municípios já era difícil, agora que incluiu tributação de entidades filantrópicas e de exportadores agropecuários, piorou. Quando o Rodrigo quer, as pautas costumam andar, mas é preciso ter mudado muita coisa para aprovar em três meses o que não conseguimos em seis.”

CLICK. Um dia após receber alta, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, recebeu manifestações de apoio da ministra Damares Alves e da deputada Carla Zambelli.

FOTO: REPRODUÇÃO INSTAGRAM DAMARES ALVES

Provocação… O MBL quer que Lula e Eduardo Cunha assistam ao documentário do movimento sobre o impeachment de Dilma Rousseff, ocorrido em 2016. Sem ambos terem solicitado, claro, mandou ofício aos locais onde os dois estão presos pedindo que eles sejam autorizados a ver Não vai ter golpe.

…e pipoca. Segundo Rubinho Nunes, advogado e coordenador do grupo, o MBL se dispôs a arcar com todos os custos necessários para a transmissão do documentário, incluindo a pipoca e o refrigerante.

BOMBOU NAS REDES!

Kim Kataguiri. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Kim Kataguiri, deputado federal (DEM-SP): “Eduardo Bolsonaro paga de valente no Twitter, mas na Câmara vota com o Centrão, lota o gabinete de aspone, está apoiando a desconstrução da Lava Jato.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Tendências: