Planalto em alerta para ‘fraude’ interna com auxilio emergencial

Planalto em alerta para ‘fraude’ interna com auxilio emergencial

Coluna do Estadão

03 de julho de 2020 | 05h00

Fabio Motta/Estadão

O Palácio do Planalto enviou comunicado a todos os seus funcionários sobre “possíveis casos de recebimento irregular do auxílio emergencial por parte de terceirizados, estagiários e dependentes de servidores da Presidência da República”. O texto, da Secretaria de Controle Interno, não esclarece quantos casos foram identificados nem de quem se trata, mas recomenda a devolução do dinheiro, se for indevido, “considerando os riscos à imagem institucional da Presidência”. Nesta semana, Jair Bolsonaro prorrogou o auxílio por mais dois meses.

Até tu? O e-mail do Palácio do Planalto explica ainda os critérios para acesso ao benefício e alerta que foram identificados “filhos de famílias de classe média, esposas de empresários e servidores públicos aposentados e dependentes” embolsando, muito indevidamente, os R$ 600 mensais.

Vacina. Questionada sobre se há e quantos são os casos de recebimentos irregulares, a Secretaria-Geral informou que o Planalto não sabe ainda de nada concreto. O comunicado, segundo disse, é para “deixar todos avisados” da lei.

Na cola. Já foram identificadas diversas irregularidades no pagamento do auxílio emergencial – como os 17 mil mortos com cadastrados, por exemplo. O MPF e o TCU já estão investigando os casos.

Chega mais! Na cruzada para se consolidar como um partido de direita “clean”, o PSL avança agora sobre os eternamente indecisos tucanos, em dúvida desde 1988 sobre qual a posição do PSDB no espectro ideológico-partidário.

Levou. Júnior Bozzela, dirigente do ex-partido de Bolsonaro, foi ao Acre filiar ao PSL o vice-governador Major Rocha, que deixou o PSDB. A irmã dele é a deputada federal Mara Rocha (AC), que, por ora, continua no partido tucano.

Vida real. Carlos Alberto Decotelli “tomou” de Regina Duarte, ex-secretária da Cultura, o apelido de Porcina do governo Jair Bolsonaro. A legendária personagem interpretada pela atriz na novela Roque Santeiro (TV Globo) era viúva sem nunca ter sido. Ele foi ministro da Educação sem nunca ter sido.

SINAIS PARTICULARES.
Regina Duarte e Carlos Decotelli,
ex-secretária de Cultura e ex-ministro da Educação

Kleber Salles

Sem folga. Com o STF em recesso, pode caber ao presidente do tribunal, Dias Toffoli, a decisão sobre como vai ser o depoimento de Jair Bolsonaro no inquérito que apura interferência política na Polícia Federal.

Esperança. O relator do caso, ministro Celso de Mello, já escreveu em decisões anteriores que autoridades investigadas não devem ter o direito de depor por escrito. Toffoli, por outro lado, é uma das poucas pontes que restam entre Jair Bolsonaro e o Supremo. Essa boa relação fez crescer o otimismo dentro do governo.

CLICK. O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), foi a Brasília e “cumprimentou” o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), pela Lei das Fake News.

COLUNA DO ESTADÃO

Joia. Com 236 mil habitantes, Araraquara é modelo no combate à covid-19 no interior paulista: 8.300 testes foram realizados na cidade (muitos em parceria com a Unesp), o equivalente a 3.516 testes para cada 100 mil habitantes.

Joia 2. No País, a média está em torno de 1.500 testes/100 mil habitantes. Apenas 13 óbitos haviam sido registrados até ontem em Araraquara, com 1.023 casos confirmados. No início da pandemia, o prefeito Edinho Silva (PT) foi atacado por bolsonaristas por levar a sério o isolamento social.

PRONTO, FALEI!

Alessandro Molon. FOTO: LUIS MACEDO/CÂMARA DOS DEPUTADOS

Alessandro Molon, deputado federal (PSB-RJ): “Mais de 60 mil mortos e quase 1,5 milhão de casos. Ultimamente o presidente anda calado… Mas cadê as ações que são esperadas de um chefe da Nação?”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANNA HOLANDA E RAFAEL MORAES MOURA.

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: