Planalto, agora, busca pontes com os chineses

Planalto, agora, busca pontes com os chineses

Coluna do Estadão

20 de janeiro de 2021 | 05h00

Diante da falta de interlocução do chanceler Ernesto Araújo com os chineses, o Planalto busca outras pontes para conseguir desenrolar a importação dos insumos para vacinas contra a covid-19. Braga Netto (Casa Civil) quer acionar “ministros” como Tereza Cristina (Agricultura), Roberto Campos Neto (Banco Central), Bento Albuquerque (Minas e Energia) e até o vice-presidente Hamilton Mourão. O Brasil depende da chegada de insumos farmacêuticos ativos para a produção de doses da Oxford/Fiocruz e da Coronavac/Butantan.

Peça fora… Ainda não se sabe exatamente como será a tentativa de diálogo, se via o próprio presidente ou via ministros, mas o fato é: governo percebeu que Ernesto não tem qualquer interlocução com a China.

…do tabuleiro. O que o chanceler fez foi enviar uma carta ao seu correspondente chinês para tratar dos insumos. No passado, Ernesto já pediu por duas vezes “a cabeça” do embaixador Yang Wanming.

Oi, sumido! Parece haver a intenção do Planalto de recompor relações com os chineses, ainda que tardiamente. Se ainda há porta aberta, Bolsonaro deve agradecer a esses ministros, em especial, a Tereza Cristina.

Start. A farmacêutica brasileira União Química iniciou, em caráter piloto, a produção da vacina Sputnik V na sua unidade de biotecnologia, em Brasília.

Figa. A expectativa é conseguir liberar o imunizante na Anvisa amanhã, quando a agência se reunirá com os dirigentes da empresa e autoridades russas, e receberá novos documentos.

Montante. O diretor de negócios da empresa, Rogério Rosso, diz que a liberação será fundamental para a empresa iniciar a produção de até 8 milhões de doses no primeiro semestre.

Made in Brazil. De acordo com o executivo da empresa, como há acordo de transferência de tecnologia, a Sputnik V terá seu IFA (ingrediente farmacêutico ativo) produzido no Brasil.

Calma. A compra da vacina russa pelo Ministério da Saúde ainda não está acertada, porém, claro, depende da aprovação da Anvisa.

CLICK. Nomes do MDB ao comando da Câmara e do Senado, Baleia Rossi (SP), em pé, e Simone Tebet (MS) estiveram juntos em evento de campanha em Campo Grande (MS) para pedir o apoio do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) junto às bancadas tucanas nas Casas.

Coluna do Estadão

Abriu… Em dezembro de 2020, com o Congresso já imerso na sucessão das Mesas, o governo federal pagou mais de R$ 550 milhões em emendas individuais aos parlamentares.

…a torneira. O total de emendas pagas saltou de R$ 4,2 milhões, em 2019, para R$ 6,7 milhões.

Top. Oito parlamentares tiveram 100% das emendas pagas por Bolsonaro. Aliado, Marco Feliciano (Republicanos-SP) foi campeão.

Mais um. Na lista dos 100%, há ainda o senador Jayme Campos (DEM-MT), presidente o Conselho de Ética do Senado, o colegiado que terminou o ano sem analisar as representações contra o filho do presidente, Flávio Bolsonaro.

De olho. O levantamento foi feito pela consultoria da Câmara, a pedido de Ivan Valente (PSOL-SP).

Rei do gado. Em maio de 2019, Ibaneis Rocha baixou decreto que isenta de ICMS a criação de gado no DF. Seis meses depois, o governador criou empresa de “criação de bovino para corte”, que se enquadra exatamente na medida.

SINAIS PARTICULARES.
Ibaneis Rocha, governador do Distrito Federal 

Ilustração: Kleber Sales

 

PRONTO, FALEI! 

Roberto Freire. FOTO: JF DIORIO/ESTADÃO

Roberto Freire, presidente nacional do Cidadania: “Bolsonaro, com sua política, é o grande responsável por esses contratempos e derrotas”, sobre as negociações para envio, pela China, de insumos para vacinas.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA. 

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.