Plágio e obras de Moraes foram mencionadas 65 vezes ao longo das 11 horas de sabatina

Coluna do Estadão

21 de fevereiro de 2017 | 22h21

Foto: André Dusek/Estadão

Foto: André Dusek/Estadão


 Durante as 11 horas de sabatina na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Alexandre Moraes se defendeu da acusação de plágio em seu livro “Direitos Humanos Fundamentais”. A palavra plágio foi mencionada 14 vezes, o termo ‘cópia’ apareceu cinco vezes e as obras dele foram citadas 46 vezes. Numa das citações explicou: “Plágio é a subtração da ideia do autor sem citação. Isso eu não fiz”. (Naira Trindade)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.