Pimentel e Dilma travam queda de braço em Minas

Pimentel e Dilma travam queda de braço em Minas

Coluna do Estadão

31 Agosto 2018 | 05h30

Foto: Willian Augusto/Futura Press/Estadão Conteúdo

A chapa do PT em Minas está em pé de guerra. A campanha de Dilma Rousseff acusa a do governador Fernando Pimentel de ter errado ao indicar o deputado federal Miguel Corrêa para disputar ao lado dela a eleição ao Senado. Além de não agregar votos, dizem, Corrêa ainda envolveu o partido num escândalo. Ele é dono de duas empresas acusadas de fazer propaganda eleitoral irregular nas redes sociais. “Pimentel erra demais”, diz um dilmista. O time do governador devolve: “Ela e o povo dela deveriam ter ajudado a escolher um nome melhor”.

Vai encarar? O grupo pró-Pimentel diz não acreditar que a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, vai cumprir a ameaça de retirar a candidatura de Corrêa ao Senado. Motivo: como ele já pediu o registro ao TRE, só sai da disputa se renunciar ou for expulso da sigla.

Vai vendo. Corrêa foi escolhido para a vaga na última hora após o PT ficar sem opção de aliança. O deputado tem afirmado que suas chances são maiores do que as de Dilma, embora ela lidere as pesquisas.

Tiro… A campanha do presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB) que começa a rodar amanhã na TV vai responsabilizar Dilma Rousseff e Michel Temer pelos problemas que o País está enfrentando.

…ao alvo. Coordenadores da campanha de Geraldo Alckmin mostraram ontem algumas peças do programa de TV a 40 agentes do mercado financeiro. Os tucanos têm feito uma ofensiva no setor para barrar a paquera dos investidores com Jair Bolsonaro (PSL).

Cheguei primeiro. Foi Ciro Gomes falar em implementar o Sistema Único de Segurança Pública que Michel Temer, com quem vive às turras, correu para viabilizar o que ainda falta. Quer anunciar os integrantes do conselho que vai gerenciar o Susp na segunda quinzena de setembro com pompa e circunstância.

Likes. A campanha de João Amoêdo (Novo) gasta R$ 5 mil por dia para impulsionar publicações nas redes. Sua equipe diz, porém, que 80% das interações são espontâneas. Só esta semana, o número de curtidas no Facebook cresceu 22%, chegando a 2,1 milhões.

Cabo de guerra. A proposta de orçamento da procuradora Raquel Dodge para o Ministério Público da União (MPU) foi parar no Supremo. Raquel entrou com mandado de segurança ontem após o conselheiro do CNMP, Dermeval Gomes, ingressar com liminar por uma divisão mais simétrica dos valores.

Climão. Os Ministérios Públicos do Distrito Federal, do Trabalho e Militar alegam que o rateio com os órgãos foi desproporcional em relação ao destinado ao MPF. O ministro Luiz Fux, do Supremo, enterrou a discussão ontem mesmo ao cassar a liminar do CNMP.

CLICK. O comercial partidário do presidenciável Henrique Meirelles (MDB), que será veiculado no rádio e TV hoje, vai dizer que “chamaram ele para consertar os erros da Dilma”.

REPRODUÇÃO

Silêncio. Fernando Henrique Cardoso não enviou seu voto na eleição da Academia Brasileira de Letras (ABL), que ontem escolheu o cineasta Cacá Diegues como imortal. Onze candidatos concorreram. Procurada, a assessoria do ex-presidente não ligou de volta. A assessoria de FHC entrou em contato hoje com a Coluna e informou que ele encaminhou seu voto, mas que a votação é secreta. A Coluna apurou que ele votou em branco.

OS PRESIDENCIÁVEIS:

 

SINAIS PARTICULARES. João Amoêdo, presidenciável do Novo; por Kleber Sales

Crise de identidade. Das 25 ações para impedir a venda de três distribuidoras da Eletrobras que a AGU derrubou até ontem, uma chamou a atenção. O Diretório do PSDB em Rondônia tentou barrar o leilão da Ceron (Centrais Elétricas de Rondônia).

Suspense. Um ministro do TSE ouvido pela Coluna quer que a Corte julgue hoje apenas a liminar para barrar a participação de Lula do horário eleitoral. “Se Barroso quiser votar o mérito do registro, sem observar ritos e prazos, não passa”, disse.

PRONTO, FALEI! 

Ex-ministro Marcelo Ribeiro. FOTO: TSE

“A inelegibilidade de Lula é irrefutável. É como olhar para uma mangueira e achar que vai sair abacate. Mas a lei lhe garante fazer campanha até a decisão”, DO ADVOGADO MARCELO RIBEIRO, EX-MINISTRO DO TSE.  

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E JULIANA BRAGA. COLABOROU RAFAEL MORAES MOURA 

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao