‘Pilha’ dos filhos cansa grupos bolsonaristas

‘Pilha’ dos filhos cansa grupos bolsonaristas

Coluna do Estadão

03 de novembro de 2019 | 05h00

Cresce entre os analistas de mídias e os pesquisadores a sensação de que os apoiadores de Jair Bolsonaro encontram argumentos e reúnem forças para defender o presidente, mas estão perdendo gradualmente a paciência com os filhos dele. Nas redes sociais, começa ser frequente o emprego da palavra “mimados” para se referir a Eduardo, Carlos e Flávio em grupos bolsonaristas não radicais do centro à direita. O movimento consome o capital político amealhado entre brasileiros refratários ao PT, mas já cansados da “pilha” dos filhos do presidente.

Receita. O caminho mais eficaz para reverter a debandada passa por fortalecer a economia, dizem analistas. Se o País terminar o ano com bons indicadores e as projeções para 2020 forem favoráveis, as crises dos rapazes viram espuma.

CLICK. Circula nas redes sociais comparação feita por defensores de Jair Bolsonaro entre o governo dele e o da petista Dilma Rousseff. Ideia é fornecer argumentos para a militância.

Troco. De Marco Feliciano (Podemos-SP), que pediu à PGR o enquadramento de Humberto Costa (PT-PE) na Lei de Segurança Nacional por incitação à subversão: “A defesa da democracia não pode ser seletiva, senão é demagogia. Se vale para o Eduardo, tem de valer para todos”.

Nova… Rodrigo Maia tem sido cobrado por parlamentares de diferentes partidos para dar seguimento a uma pauta social na Câmara. Para esse grupo, de nada adianta ajuste fiscal sem propostas para diminuir pobreza e desigualdade.

…agenda. Dentre as ideias do grupo está a de fatiar o Benefício Universal Infantil, elaborada pela turma de Tabata Amaral (PDT-SP) e presente na PEC do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE).

Retaguarda. Com o tratamento de Bruno Covas, cresceu ainda mais a importância de seu secretário de Governo, Mauro Ricardo Costa. É ele, segundo aliados, quem tem dado tranquilidade para o prefeito de SP se concentrar no tratamento contra o câncer.

SINAIS PARTICULARES.
Mauro Ricardo, secretário municipal de São Paulo


130 anos… Chega ao mercado neste mês o livro Dicionário da República (veja abaixo), organizado pelas historiadoras Lilia Moritz Schwarcz e Heloisa M. Starling. “Nunca tivemos uma república de fato, republicana”, afirma Lilia.

…da República. Os maiores inimigos da República, para as autoras, são o patrimonialismo e a corrupção. “É um momento difícil, com o chefe do Executivo dando exemplos de um comportamento nada republicano”, diz Lilia.

Caranguejo. Que Deus Tenha Misericórdia Dessa Nação (abaixo), dos jornalistas Aloy Jupiara e Chico Otávio, traz bastidores da vida do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, preso em Curitiba. “É um retrato jornalístico de um personagem desafiador, provocante, frio e articulador”, define Chico Otávio.

Iguais? A doutora em ciência política Deysi Cioccari analisou discursos dos presidentes pós-redemocratização: “Absolutamente todos dedicaram muito do seu tempo falando na imprensa e sobre a imprensa”. Na próxima terça-feira, ela dá curso sobre o tema na Cásper Líbero, em São Paulo.

BIBLIOTECA POLÍTICA – Lançamentos


Dicionário da República
AUTORAS: LILIA MORITZ SCHWARCZ E HELOISA M. STARLING (ORGANIZADORAS)
COMPANHIA DAS LETRAS

Em 51 verbetes, autores discorrem sobre as origens da república e do republicanismo.

Deus Tenha Misericórdia Dessa Nação
AUTORES: CHICO OTÁVIO E ALOY JUPIARA
RECORD
Biografia não autorizada do ex-deputado federal Eduardo Cunha.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA. COLABORARAM BRENDA ZACHARIAS E RAYSSA MOTTA.

Acompanhe nas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.