PF vai manter agentes na segurança de Bolsonaro, mesmo durante internação

PF vai manter agentes na segurança de Bolsonaro, mesmo durante internação

Andreza Matais e Rafael Moraes Moura

08 Setembro 2018 | 14h05

Foto: Dida Sampaio/Estadão

A Polícia Federal vai manter agentes fazendo a segurança do candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, mesmo enquanto ele estiver internado no hospital Albert Einstein, em São Paulo. A explicação é que Bolsonaro continua candidato ao Planalto.

Na tarde deste sábado, a Polícia Federal realizará em Brasília uma reunião com coordenadores de campanha para tratar da segurança dos presidenciáveis. Segundo o presidente nacional do PSL, Gustavo Bebbiano, o partido não enviará nenhum representante para o encontro.

“Esse tipo de reunião é simplesmente para proteção política das autoridades. Estão preocupados com a imagem deles, muito mais com a imagem do que com a operação (de segurança) em si”, afirmou Bebbiano à Coluna na última sexta-feira (7).

“Cada candidato tem um perfil, cada candidato tem um nível de risco. O que adianta uma reunião padronizada com os representantes? Não adianta nada, só pra ficar bem na fotografia”, criticou o presidente nacional do PSL.

No mês passado, o Estadão informou que o número maior de candidatos ao Palácio do Planalto e a disseminação de “eventos espontâneos” – como a recepção a políticos em aeroportos – eram considerados pela PF os maiores desafios na garantia da segurança dos presidenciáveis.

Mais conteúdo sobre:

Jair BolsonaroPolícia Federal