PF procurou por Cesare Battisti em duas embaixadas

PF procurou por Cesare Battisti em duas embaixadas

Coluna do Estadão

03 de janeiro de 2019 | 05h00

Cesare Battisti / Gabriela Biló/Estadão

A Polícia Federal questionou ao menos duas embaixadas instaladas no Brasil se estariam abrigando Cesare Battisti. Desde que o ex-presidente Michel Temer decretou a extradição dele para a Itália, Battisti está foragido. A Coluna apurou que entre as embaixadas consultadas estão as da Venezuela e da Bolívia, que negaram terem dado refúgio para o italiano nas suas unidades. Segundo um delegado, informações incorretas gerariam uma crise diplomática, razão pela qual dizem não acreditar que possam ter omitido a verdade nas respostas.

No rastro. A PF também checou informação de que Battisti estaria na Amazônia. Um mapeamento foi feito, mas sem sucesso.

Finge que esqueceu. A ordem na PF é não falar publicamente sobre o assunto Battisti para dar a sensação de que o italiano não está mais sendo procurado, o que pode levá-lo a cometer alguma falha. Ninguém tem dúvidas de que será capturado cedo ou tarde.

Espera aí. O presidente Jair Bolsonaro foi informado por sua assessoria de que não pode anular a nomeação de Carlos Marun para o conselho de Itaipu feita por Michel Temer no último dia do seu governo.

Salvo pelo gongo. A nomeação trata-se de ‘ato jurídico perfeito’, aquele que, após realizado, não pode ser revisto. Foi essa a razão que obrigou Bolsonaro a recuar da sua decisão de exonerar Marun.

Proteção. Carlos Bolsonaro pediu para acompanhar o pai no Rolls-Royce porque temia pela segurança do presidente durante o desfile. Disse que estava com um “sentimento ruim” e queria estar perto.

Ajuda… A decisão do PSL de lançar Major Olímpio à presidência do Senado animou os apoiadores de Renan Calheiros (MDB-AL), que já não tinham mais expectativa de vitória desde que o Supremo impôs votação aberta na eleição.

…dos céus. Ao lançar Olímpio, o PSL enfraquece o tucano Tasso Jereissati, que buscava o apoio da sigla na disputa. Além disso, o partido só tem quatro senadores, o que reforça o discurso da proporcionalidade. O MDB tem 11.

OS NOVOS MINISTROS – A SÉRIE

SINAIS PARTICULARES. André Mendonça, Advocacia-Geral da União; por Kleber Sales

Dá um Google. As buscas pelo termo “Michelle Bolsonaro” cresceram mais de 5.000% no dia da posse. Foram mais de 500 mil. Aumentaram na mesma proporção as procuras por “idade de Bolsonaro” e “idade de Michelle”.

História. O primeiro presidente da República, Deodoro da Fonseca, despertou a curiosidade dos internautas depois de Eunício Oliveira afirmar que o livro no qual Bolsonaro assinou o termo de posse era o mesmo desde 1889. “O que é socialismo” também apareceu entre as principais buscas. Bolsonaro decretou o “fim do socialismo”.

CLICK. O banqueiro André Esteves, do BTG Pactual, participou da cerimônia de posse de Paulo Guedes como superministro da Economia. Guedes fundou o Pactual.

O acordo. Com o apoio do PSL, Rodrigo Maia (DEM-RJ) contabiliza 330 votos para se reeleger ao comando da Câmara. O PRB vai ficar com a 1.ª vice; o PSL com a 2.ª vice e o PR com a 1.ª secretaria.

No pacote. O PSD comandará a 2.ª secretaria. Já as 3.ª e 4.ª secretarias estão prometidas a PSB e PDT.

Vem aí. A reforma da Previdência do governo Bolsonaro vai ser mais ampla do que a apresentada no governo Temer. Na redação anterior, por exemplo, os militares foram excluídos.

PRONTO, FALEI!

Foto: Alex Silva/Estadão

“O brasileiro tem o direito de viver sem a sensação de que está sendo roubado ou enganado pelos seus representantes nas diversas esferas de poder”, DO MINISTRO DA JUSTIÇA, SÉRGIO MORO. 

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E JULIANA BRAGA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao