PF mira apadrinhado de Lobão no Postalis

Coluna do Estadão

05 de setembro de 2016 | 13h08

Foto: Divulgação PF

Foto: Divulgação PF

 

A Polícia Federal ouviu os ex-dirigentes do Postalis (fundo de pensão dos funcionários dos Correios) Alexej Predtechensky e Adilson Florência da Costa no âmbito da Operação Greenfield, que apura desvios nos quatro maiores fundos de pensão do País patrocinados por empresas estatais. O foco da investigação no fundo de pensão dos Correios é o Multiner FIP.

Segundo o relatório da CPI dos Fundos de Pensão, da Câmara dos Deputados, o caso Multiner FIP, investimentos em uma empresa de energia, causou prejuízo de R$ 681,2 milhões a três fundos (Funcef, Postalis e Petros). Alexej, conhecido como russo, foi presidente do Postalis e Costa, ex-diretor financeiro.

Alexej foi indicado para o cargo pelo ex-ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, um dos mais fiéis aliados do ex-presidente do Senado, José Sarney. Ele foi sócio de Marcio Lobão, um dos filhos do ex-ministro e atual senador, em uma importadora de carros BMW em Brasília.

OUTRO LADO

O Senador Edison Lobão informa que não indicou o senhor Alexej Predtechensky para o cargo de presidente do fundo Postalis. O próprio Alexej, em depoimento a CPI dos Fundos de Pensão realizada pela Câmara dos Deputados, negou que tenha sido indicado pelo senador.

Em 1994, Alexej Predtechensky e Márcio Lobão foram sócios em uma importadora de veículos em Brasília, cujo empresa encerrou suas atividades em 1997. (Andreza Matais, Murilo Rodrigues Alves e Fabio Serapião)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: