Pendências na Justiça eleitoral ameaçam PSL

Pendências na Justiça eleitoral ameaçam PSL

Coluna do Estadão

02 de março de 2019 | 05h00

 

Janaina Paschoal Foto: Clayton de Souza/Estadão

O partido do presidente Jair Bolsonaro corre risco de não conseguir lançar candidatos nas eleições municipais de 2020. Hoje, a maioria dos diretórios estaduais do PSL não está regularizada na Justiça Eleitoral devido a falhas nas prestações de contas e multas de gestões passadas. Em São Paulo, por exemplo, berço político de Janaína Paschoal, Eduardo Bolsonaro e Joice Hasselmann, todos cotados para a Prefeitura, a situação é crítica: o diretório funciona por meio de liminar e, se não se resolver até o meio do ano, não terá candidatos a cargo nenhum.

De outros carnavais. Os bolsonaristas atribuem as dificuldades a gestões anteriores, supostamente sem estrutura e mal organizadas. A “herança maldita”, como diz o tesoureiro Victor Metta, resultou numa multa de R$ 1,5 milhão em São Paulo.

Quem paga. O estatuto do PSL prevê que eleitos paguem do próprio bolso com 5% do salário para abater a dívida e que diretórios municipais entrem no rateio com contribuições de R$ 100 a R$ 1 mil.

Pires na mão. Por causa das pendências, o diretório de São Paulo não poderá receber o Fundo Partidário até novembro. Nacionalmente, a cifra deve chegar a R$ 8,1 milhões mensais.

Unidos… Governadores do Nordeste se encontram no próximo dia 14, em São Luís, para a criação de um consórcio, cujo objetivo será fazer compras coletivas, como ambulâncias, viaturas e remédios, e, com isso, baratear os custos.

…venceremos. A ideia é que funcione como um ente federativo e possa ainda conseguir crédito para programas na região.

Lá na frente. Ministros do Supremo Tribunal Federal apostam que os pontos que serão mais questionados judicialmente na reforma da Previdência são aqueles que impliquem a análise de direitos adquiridos.

SINAIS PARTICULARES
LÍDERES DO CONGRESSO
Roberto Rocha, líder do PSDB no Senado (MA)

Por Kleber Sales

Privilégio. Recém-restabelecido na última terça-feira, o auxílio-mudança dos parlamentares já é alvo no Congresso. De autoria do deputado Ruy Carneiro (PSDB-PB), o decreto legislativo propõe a extinção do benefício. O Estado revelou, em novembro, que o benefício custaria R$ 20 milhões.

Fui. O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, e uma assessora vão passar toda a semana do carnaval nos Estados Unidos. Segundo a autorização publicada no Diário Oficial, participarão de um “non-deal road show”, para aproximação com investidores.

Tudo pago. A viagem de Guimarães, que sofre críticas por não ter disponibilidade para atender parlamentares, será bancada pela União. Procurada, a Caixa informou que o presidente terá 70 reuniões com potenciais clientes e investidores visando à venda de ativos.

CLICK. O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, recebeu representantes de seis associações de servidores do Judiciário, Ministério Público e de carreiras do Estado.

FOTO: Divulgação/Anamatra

Sob nova… O ministro Luiz Henrique Mandetta redesenhou o organograma da Saúde. Criou a Secretaria Nacional de Atenção Básica e a de Tecnologia da Informação para dar prioridade a essas duas áreas. A ideia é, finalmente, conseguir implementar o prontuário eletrônico no SUS, dificuldade histórica da pasta.

…direção. Também será criada a Diretoria de Integridade, que concentrará as atividades de ouvidoria e de representantes da AGU e CGU, para prevenir corrupção. Segundo o ministro, é a primeira da Esplanada.

PRONTO, FALEI!

O deputado Efraim Filho. Foto: André Dusek/Estadão

“A tentativa fracassada de Temer deixou o legado de uma percepção na sociedade e no Parlamento da importância de uma nova Previdência”, do deputado federal Efraim Filho (DEM-PB), sobre a reforma.

COM REPORTAGEM DE JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao