Partido de Bolsonaro traça estratégia para ampliar engajamento nas redes

Partido de Bolsonaro traça estratégia para ampliar engajamento nas redes

Camila Turtelli e Matheus Lara

28 de fevereiro de 2022 | 05h00

Atual casa de Jair Bolsonaro, o Partido Liberal (PL) quer agora se apropriar do engajamento bolsonarista nas redes sociais para ganhar notoriedade, como teve o PSL e seu “17”, antigo partido do presidente e o número a que ele ficou associado, em 2018. O vice-presidente do PL, deputado Capitão Augusto (SP), passou a pedir para que todos seus quadros, inclusive vereadores eleitos pela sigla, citem sempre a legenda e o número dela, o 22, em suas postagens nas redes. “Reparei que eles não faziam isso e é algo interessante para todo mundo”, disse Augusto à Coluna. O deputado também tem um plano para ampliar o número de filiados e quer passar de 700 mil para um milhão até o final do março.

VAI BOMBAR. Augusto também está otimista em relação ao aumento da bancada e sonha alto. Para ele, o número de deputados filiados ao PL pode passar dos atuais 42 para 67, incluindo a entrada de nomes do União Brasil, atualmente a maior bancada da Câmara.

PRESSÃO. O Greenpeace Brasil lançou campanha nas redes sociais para pressionar governadores a decretarem emergência climática e a estruturem planos de adaptação e ações de enfrentamento de estragos causados por chuvas, como a situação de Petrópolis.

PRESSÃO 2. De Rodrigo Jesus, porta-voz do Greenpeace Brasil: “A situação de emergência enfrentada por populações de diversos Estados é historicamente noticiada. A intensidade dos eventos extremos já faz parte do nosso tempo presente. Precisamos de medidas estruturais”, disse à Coluna.

DEIXA DISSO. O Palácio do Planalto tenta correr atrás do prejuízo depois de irritar a bancada evangélica ao lavar as mãos na votação na Câmara que liberou os jogos de azar. Deputados e senadores do grupo foram convidados para um café com o presidente no próximo dia 8.

BOA… Para fugir do “juridiquês” comum dos editais públicos e atrair mais inscrições, o governo do Ceará decidiu colocar cores, ilustrações, gráficos e elementos interativos na versão digital de um novo edital sobre iniciativas e projetos culturais no Estado.

…INICIATIVA. O documento é uma parceria do Laboratório de Inovação e Dados (Íris) com a Associação Ceará Design. “É uma tradução do edital original, que se comunica de forma clara e fácil”, disse Luisa Cela, da Secretaria de Cultura do Estado.

CLICK. Anatolyi Tkach, da Embaixada da Ucrânia no Brasil

Encarregado de Negócios da embaixada ucraniana distribuiu à imprensa em Brasília mapa do país incluindo a Crimeia, anexada pela Rússia em 2014.

UÉ? O ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha criticou o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, associando-o a Lula (PT) e o pré-candidato a governador Rodrigo Neves (PDT). “Paes quer apoiar Lula e Neves. Ambos estiveram presos”, disse. O próprio Cunha estava na prisão até 2021.

FANTASIA… Cheio de poderes, o ministro da Casa Civil de Bolsonaro, Ciro Nogueira, gostou do apelido de “amortecedor” do governo. Ele também tem feito o papel de crítico de adversários políticos, como Lula.

…DE CARNAVAL. Neste fim de semana, Ciro tentou “amortecer” a postura de Bolsonaro em relação à guerra. “A preocupação com a Ucrânia une toda a humanidade. Mas a politização no Brasil sobre o tema é oportunista”, disse.

ILUSTRAÇÃO. Ciro Nogueira, ministro da Casa Civil

PRONTO, FALEI! Marcelo Calero, deputado federal (Cidadania-RJ)

“O amadorismo e o lunatismo do bolsonarismo não são apenas toscos. Jogam nossa reputação na lama”, sobre Brasil não assinar carta da OEA contra ataques russos.

COLABOROU ELIANE CANTANHÊDE

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.