Parlamento Amazônico deve ser reativado neste mês

Parlamento Amazônico deve ser reativado neste mês

Coluna do Estadão

05 de novembro de 2020 | 05h00

Senador Nelsinho Trad. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Com a Amazônia cada vez mais no centro do debate internacional, o Parlamento Amazônico, formado pelos nove países latino-americanos que têm a floresta em seus territórios, deverá ser reativado neste mês. Reunião online com representantes de cada nação está prevista para o dia 30. Para Nelson Trad (PSD-MS), presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado e um dos responsáveis por articular a retomada do colegiado, o Parlamaz ajudará a garantir uma narrativa conjunta de “independência” e de “soberania” a seus integrantes.

Histórico. O Parlamento Amazônico foi criado em 1989, mas há anos está desativado. Segundo Trad, o colegiado será formado por parlamentares indicados pelos países e realizará reuniões periódicas, no mesmo formato do Parlasul.

Esforço. De acordo com Trad, as conversas para a reativação do Parlamento Amazônico ocorrem desde o ano passado, mas os trabalhos foram adiados por causa da pandemia da covid-19. Em setembro, ele tratou do assunto com o vice-presidente Hamilton Mourão, coordenador do Conselho da Amazônia.

Não confundir. Hoje existe também o Parlamento Amazônico formado pelos Estados brasileiros que compõem a nossa Amazônia Legal.

Fica… Qualquer que seja o desfecho da eleição americana, a expectativa entre governistas e diplomatas ouvidos reservadamente pela Coluna é: ao menos por ora, Ernesto Araújo permanecerá no cargo.

…vai ter… O chanceler, uma das principais vozes da chamada ala ideológica do governo, vem sofrendo pressões de muitos lados.

…Olavo. Mas a avaliação é de que a política externa deve seguir a mesma: conservadora, com certa dose de pragmatismo quando se tratar de Estados Unidos.

Vela acesa. Não foram poucos os governistas que passaram a madrugada torcendo por Trump.

SINAIS PARTICULARES.
Jair Bolsonaro, presidente da República

Ilustração: Kleber Sales

Cri, cri. A denúncia do Ministério Público contra Flávio Bolsonaro passou em branco entre senadores. Parlamentares afirmam que Flávio tomou chá de sumiço faz alguns meses.

Plano. Em uma campanha até agora tímida no quesito propostas, Helio Beltrão apresenta hoje um receituário econômico, de viés liberal, para a recuperação do emprego e da renda em São Paulo após a pandemia. O economista está com o candidato a prefeito Arthur do Val (Patriota).

Menos… Um dos pontos ousados do plano: diminuir a “jornada burocrática” por meio da extinção de licenças, taxas, autorizações e tributos hoje necessários para os cidadãos exercerem uma atividade econômica.

…balcão. “Atividade de baixo risco não precisa de licença. Sempre que o custo social for maior que o risco de fraude, deve-se presumir a veracidade dos atos declaratórios”, diz Beltrão.

Cola… Enquanto Luizianne (PT) busca enfiar Lula em sua campanha pela prefeitura de Fortaleza, José Sarto (PDT), bancado pelos Ferreira Gomes, tenta não nacionalizar a disputa.

…descola. Sarto disputa com o PT, mas sonha em tirar voto do bolsonarismo. A campanha prefere dizer que ele é candidato de Roberto Cláudio, o atual prefeito, não de Ciro Gomes.

CLICK. O vice-presidente Hamilton Mourão e a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, no Centro de Instrução de Guerra na Selva, em Manaus.

Coluna do Estadão

PRONTO, FALEI! 

Foto: PSOL

Juliano Medeiros, presidente do PSOL: “Só para lembrar: tem uma ação pedindo a cassação do mandato de Flávio Bolsonaro pelos crimes de corrupção. O processo está parado há oito meses.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA.

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.