Paralisação de obras da Codevasf gera mal-estar entre Câmara e TCU

Paralisação de obras da Codevasf gera mal-estar entre Câmara e TCU

Julia Lindner

07 de junho de 2022 | 05h01

A recomendação aprovada pela Comissão Mista de Orçamento (CMO), na semana passada, para que o Tribunal de Contas da União (TCU) não suspenda atos sem antes ouvir o Congresso expôs o incômodo da cúpula da Câmara com o órgão. Para alguns líderes, o TCU está extrapolando atribuições e deve atuar como mero órgão auxiliar. Recentemente, o tribunal mandou parar obras da Codevasf em dez Estados, entre eles Alagoas e Piauí, redutos eleitorais de Arthur Lira (PP-AL) e do ministro Ciro Nogueira (PP-PI).

O presidente da Câmara, Arthur Lira. Foto: Dida Sampaio/Estadão.

RECADO. A insatisfação sobre um possível excesso de medidas cautelares foi manifestada ontem aos ministros do TCU Bruno Dantas e Jorge Oliveira, na residência oficial da Câmara. O requerimento, porém, é apenas uma sugestão.

QUEM. De acordo com deputados, a medida dá o tom do como deve ser a gestão do novo presidente da Comissão Mista de Orçamento, Celso Sabino (União-PA), aliado de primeira hora de Arthur Lira.

Coluna do Estadão: Das obras de escolas iniciadas sob Bolsonaro, apenas sete estão prontas

Tudo o que sabemos sobre:

CâmaraTCUobras

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.