Pará quer lista pública com os vacinados

Pará quer lista pública com os vacinados

Coluna do Estadão

22 de janeiro de 2021 | 05h00

Foto: Dida Sampaio/Estadão

Diante dos crescentes casos de fura-fila na imunização País afora, o governador Helder Barbalho (MDB-PA) pediu para sua equipe viabilizar a divulgação dos nomes de quem já foi vacinado, junto a outros dados no “vacinômetro” do Pará. “É questão de transparência, apenas”, diz ele. O presidente do Conass e secretário de Saúde do Maranhão, Carlos Lula, vai na mesma linha: “Defendo que o Ministério da Saúde abra os dados. Não viola nada, é público. Todo mundo fiscaliza. Não divulga salário? Por que não divulgar cartão de vacinação?”.

Oh no. Abrir os nomes dos vacinados não é consenso. No Rio Grande do Sul, por exemplo, o “vacinômetro” entrará no ar sem eles, apenas com os números diários. A avaliação é de que isso não seria possível por envolver questões de sigilo médico e ética profissional.

Deixa disso! Do presidente da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), Jonas Donizette: “Esses casos (fura-fila) que fogem ao padrão devem ser corrigidos e até punidos porque é uma questão de saúde pública. Mas sou contra divulgar a lista com os nomes”.

‘Vacinometers’. O Ministério da Saúde ficou de apresentar na semana passada o sistema integrado dos vacinados, ferramenta única para Estados e municípios, o que ainda não aconteceu. Assim, cada um contabiliza da sua forma.

Me conta. As vacinas da Astrazeneca/Oxford podem chegar ainda hoje ao País. Mas, até a noite de ontem, os Estados não tinham muitos detalhes sobre a quantidade de doses e sobre como será feita a distribuição.

Buzinaço. Organizadores das carreatas pelo impeachment de Jair Bolsonaro marcadas para amanhã preveem atos em ao menos 18 capitais, dentre elas: São Paulo, Recife e Porto Alegre. Integrantes do “Acredito” puxaram o coro.

Buzinaço 2. O grupo é suprapartidário, reúne Rede, PDT, PT, PV, PSOL, PCdoB, PSB e PCB.

Eu também. O Vem Pra Rua está convocando panelaço para hoje, às 20h30, e uma carreata no domingo em São Paulo, com concentração às 10h da manhã na Praça Charles Miller.

CLICK. O deputado Júnior Bozzella (PSL-SP) tirou meia hora do seu dia para academia. “Aprende aí, capitão”, disse, em tom de provocação a Jair Bolsonaro.

Reprodução/Instagram

Bola na… Com as contas do governo federal no vermelho e sem perspectivas de grandes incrementos para este ano, o STF pode ter papel decisivo para garantir mais recursos para o SUS. A Corte julga em maio processo que pode gerar economia de pelo menos R$ 1,3 bilhão por ano ao Sistema Único de Saúde.

…marca da cal. Trata-se da ação questionando o artigo 40 da Lei de Propriedade Industrial, que garante prorrogação que pode até ultrapassar mais de 10 anos para além dos 20 da regra internacional das patentes.

Exclusividade. Na prática, esse trecho mantém por mais tempo a exclusividade de alguns laboratórios que vendem medicamentos para o poder público.

SINAIS PARTICULARES.
Augusto Aras, procurador-geral da República

Kleber Sales

Uma ideia… O procurador-geral da Republica, Augusto Aras, deu a ideia, e as redes bolsonaristas, claro, embarcaram: fãs do presidente passaram a pedir que ele decrete estado de emergência no País.

…ruim. O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) criticou Aras. Alguma dúvida de que a PGR está sendo posta de joelhos?”.

PRONTO, FALEI!

Deputada Perpétua Almeida. Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Pérpetua Almeida, deputada federal (PCdoB-AC): “Nada como um dia atrás do outro. Desde que Bolsonaro assumiu, o Brasil faz diplomacia de compadrio, e não de nação soberana e altiva, como deveria.”

COM ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.