Para PGR, Renan, Jucá e Sarney queriam mudar regras para salvar a pele

Para PGR, Renan, Jucá e Sarney queriam mudar regras para salvar a pele

“Renan é presidente do Senado. Pode promover mudança na lei para salvar as costas dele?”, afirma um investigador.

Luiza Pollo

10 de junho de 2016 | 05h15

Romero Jucá, José Sarney e Renan Calheiros. Foto: PMDB/Divulgação

Romero Jucá, José Sarney e Renan Calheiros. Foto: PMDB/Divulgação

 

O pedido de prisão dos senadores Renan Calheiros, Romero Jucá e de tornozeleira eletrônica para José Sarney relaciona o que foi entendido pelo procurador Rodrigo Janot como ações dos peemedebistas para melar a Lava Jato.

Investigadores dizem que não se sustenta o argumento de que os áudios mostram os senadores apenas discutindo mudanças na legislação, o que é papel deles. “Então, Eduardo Cunha pode fazer requerimento para espremer o banco Schain?”, diz. Numa das gravações de Machado, Renan defende mudar a lei de delação premiada. “Renan é presidente do Senado. Pode promover mudança na lei para salvar as costas dele?”, afirma um investigador.

Outro ponto é o áudio em que o senador Romero Jucá afirma que Teori Zavascki, relator da Lava Jato no STF, é um dos poucos com quem não tem relação.

Siga a Coluna do Estadão:
No Twitter: @colunadoestadao
No Facebook: www.facebook.com/colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: