Para investigados da Zelotes, Mantega era “a amiga”

-

Fábio Fabrini e Andreza Matais

09 de maio de 2016 | 12h04

Além de determinar que o ex-ministro Guido Mantega fosse conduzido a prestar depoimento na Operação Zelotes, a Justiça Federal  também autorizou buscas em endereços dele. Inicialmente, o juiz da 10 Vara em Brasília, Vallisney de Souza Oliveira, não havia deferido as medidas, mas reconsiderou a decisão quando a PF apresentou mais indícios da participação de Mantega em suposto esquema para beneficiar o empresário Victor Sandri, seu amigo, no Carf. Entre as informações que pesaram para a ordem do juiz esta a confirmação de que o codinome “amiga” citado em mensagens dos investigados era uma referência ao ex-ministro.  Ele teria nomeado conselheiros no Carf a pedido dos investigados.