Para governo, retirada massiva de recursos da poupança é consequência da crise

Para governo, retirada massiva de recursos da poupança é consequência da crise

-

Luiza Pollo

07 de julho de 2016 | 05h45

Foto: Tiago Queiroz/Estadão

Foto: Tiago Queiroz/Estadão

A super retirada de recursos da poupança no primeiro semestre alertou o governo, mas não causou preocupação. Os saques de R$ 42,6 bilhões foram considerados como consequência da crise.

Segundo um integrante da equipe econômica, os recursos voltarão com a recuperação da economia. “Como se preocupar com o amanhã se as pessoas não têm dinheiro para pagar o de hoje”, diz.

Siga a Coluna do Estadão:
No Twitter: @colunadoestadao
No Facebook: www.facebook.com/colunadoestadao

Tudo o que sabemos sobre:

Cofrinho

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.