Para Eugênio Aragão, escolha de Flávia PIovesan é tentativa de legitimar governo Temer

Para Eugênio Aragão, escolha de Flávia PIovesan é tentativa de legitimar governo Temer

.

Beatriz Bulla

18 de maio de 2016 | 09h56

Eugênio Aragão | André Dusek/Estadão

Eugênio Aragão | André Dusek/Estadão

Para o ex-ministro da Justiça, Eugênio Aragão, o convite à jurista Flávia Piovesan para assumir a Secretaria de Direitos Humanos é a prova de que o governo Temer “precisa de pessoas para legitimá-lo”. A professora é bem quista entre juristas ligados aos governos Dilma e Lula. Aragão imagina que Flávia tenha aceitado o cargo por pensar “antes eu do que um aventureiro”.

Mais conteúdo sobre:

Selo de Qualidade