Para derrotar Renan, PSL pode trocar candidato

Para derrotar Renan, PSL pode trocar candidato

Coluna do Estadão

06 de janeiro de 2019 | 05h00

Deputado Major Olímpio. Foto: Sérgio de Castro/Estadão

O PSL não descarta trocar seu candidato à presidência do Senado se enxergar risco de perder a disputa para Renan Calheiros (MDB-AL), que considera um aliado de Lula. O presidente do partido, Luciano Bivar (PE), lançou o nome de Major Olímpio (PSL-SP), que assume seu primeiro mandato na Casa em fevereiro. Mas o futuro senador já foi avisado de que pode ser substituído por Davi Alcolumbre (DEM-AP), frequentador assíduo do Planalto desde a posse de Bolsonaro. Na Câmara, o partido do presidente vai apoiar Rodrigo Maia, outro demista.

Eu vi primeiro. Em conversas reservadas, Rodrigo Maia já chegou a classificar de “ridícula” a candidatura do colega de sigla. Na semana passada, porém, fizeram as pazes. É praticamente impossível o mesmo partido comandar as duas Casas, ainda mais não tendo a maior bancada nelas.

As regras. Alcolumbre é hoje o único senador com cargo na Mesa Diretora que está no meio de mandato, o que lhe dá o direito de presidir a sessão que elegerá o novo comandante da Casa. Se for candidato, a tarefa será de José Maranhão (MDB-PB), o mais idoso.

Hablas… O ministro da Educação, o colombiano Vélez Rodriguez, delegou para os secretários da pasta as entrevistas coletivas. Explicou que, apesar de falar bem o português, ainda tem dificuldade com a pronúncia e um sotaque muito carregado.

…español? Quem convive com o ministro conta que já houve até mesmo situações de estresse com a atual equipe por ele ter entendido errado o que seus assessores lhe disseram em bom português.

Panos quentes. Após o PSL anunciar apoio à candidatura de Rodrigo Maia ao comando da Câmara, o presidente Jair Bolsonaro recebe amanhã no Planalto o deputado Fábio Ramalho, adversário de Maia.

Matula. Bolsonaro afirma que não interferiu na decisão do seu partido. O emedebista vai levar doce de leite, goiabada e linguiça de porco para agradar ao presidente. Fabinho é conhecido na Câmara pelos banquetes que serve para os colegas.

SINAIS PARTICULARES – A SÉRIE

OS HOMENS DE GUEDES

Rogério Marinho, secretário da Previdência; por Kleber Sales

@bolsonaro. Por decreto, Bolsonaro transferiu a administração das “contas pessoais das mídias do presidente da República” para a Secretaria de Comunicação.

Caseiro. A norma é polêmica. Bolsonaro não usa suas redes apenas para anunciar medidas do governo. Ele tem bloqueado jornalistas e curtido perfis fakes.

Outro estilo. Um advogado diz que o artigo 37 da Constituição veda a prática. Nos governos Michel Temer e Dilma Rousseff, contudo, a função também era de funcionários da Secom.

CLICK. A Embrapa usou as redes para dizer que a medida proposta por Bolsonaro de dessanilização de água no NE é sim inédita, rebatendo questionamentos de que já existe.

Reprodução/Twitter da Embrapa

Jeitinho. Joyce Hasselmann vai pedir ao presidente do PSL, Luciano Bivar, votação secreta para a escolha do líder da bancada na Câmara em fevereiro. O atual, deputado delegado Waldir (GO), tem muito apoio para ser reconduzido ao posto.

Time. Além de Carlos Marun, o governo tem outros cinco conselheiros na Itaipu Binacional. Entre eles, Samantha Meyer, ex-mulher do ministro Gilmar Mendes, e Orlando Pessuti, ex-governador do Paraná.

A SEMANA

Segunda-feira, 7

Jair Bolsonaro dá posse a presidentes de bancos públicos

O presidente empossa Rubens Novaes no Banco do Brasil, Joaquim Levy no BNDES e Pedro Guimarães na Caixa.

Terça-feira, 8

Presidente faz a reunião com seu conselho ministerial

A previsão é que o colegiado se reúna todas as terças-feiras. O encontro da semana passada contou com os 22 ministros.

COM REPORTAGEM NAIRA TRINDADE E JULIANA BRAGA. COLABOROU ANNE WARTH

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao