Operação Esfinge prendeu auditor da Receita que chefiou área de fiscalização

-

Andreza Matais

03 de junho de 2016 | 10h26

Marcelo Fisch de Berredo Menezes, auditor fiscal da Receita Federal, e a mulher dele, Mariangela Defeo Menezes, foram presos nesta sexta-feira pela Operação Esfinge, deflagrada pela Polícia Federal. Os mandados são de prisão preventiva, quando não há prazo para a soltura.

Fisch ocupou em 2008 a função de Coordenador-Geral de Fiscalização. Em fevereiro de 2015, foi nomeado para o cargo de Chefe da Divisão de Controles Fiscais Especiais da Coordenação-Geral de Fiscalização da Receita. Investigações apontam que ele seria um dos responsáveis por contratar a SICPA Brasil Indústria de Tintas e Sistemas LTDA. por inexigibilidade de licitação. O contrato foi assinado em dezembro de 2008 e sua vigência começou a partir do início de 2009.

A mulher dele, Mariangela, é sócia da empresa MDI Consultoria em Gestão de Pessoas LTDA, aberta em 2009. Essa empresa recebeu, entre 2009 e 2015 cerca de U$ 15 milhões a título de valores de consultoria, porém os valores vinham de uma empresa sediada nos Estados Unidos que seria de propriedade de um dos representantes da SICPA. A Coluna do Estadão ainda não localizou os advogados dos dois presos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.