Ofícios enviados ao STF mostram que petistas usaram orçamento secreto

Ofícios enviados ao STF mostram que petistas usaram orçamento secreto

Mariana Carneiro, Lauriberto Pompeu, Matheus Lara e Gustavo Côrtes

11 de maio de 2022 | 05h01

Quatro petistas aparecem entre os mais de 400 deputados e senadores que enviaram informações ao STF, a maior parte reconhecendo ter carimbado verbas do chamado orçamento secreto em 2020 e 2021. Os senadores Rogério Carvalho (SE), Humberto Costa (PE), Fabiano Contarato (ES) e o deputado Paulo Guedes (MG) admitiram ter repassado R$ 24,390 milhões por meio desse tipo de emenda parlamentar. Por não terem transparência e terem sido usadas como moeda de troca em votações no Congresso, essas emendas viraram alvo da Justiça e são criticadas por Luiz Inácio Lula da Silva. O presidenciável já fustigou Arthur Lira (PP-AL) pela distribuição dessa verba e prometeu que, se eleito, vai acabar com o instrumento.

O senador Humberto Costa (PT-PE) Foto: Agência Senado.

ONDE. Carvalho indicou R$ 200 mil para Brasília e Vila Boa (GO) para gastos com saúde em 2020 e 2021. Costa repassou R$ 3,4 milhões para municípios pernambucanos em emendas oferecidas no fim de 2020 pelo então presidente do Senado, Davi Alcolumbre. Em 2021, ele disse que não usou mais a verba. Contarato enviou R$ 19 milhões em 2020 para a saúde do Espírito Santo. E Paulo Guedes repassou R$ 1,79 milhão em 2021 para cidades mineiras.

PASSADO. Essas emendas são chamadas de orçamento secreto porque não obedecem a critérios técnicos para sua divisão e, até o ano passado, não se sabia quem eram os parlamentares que ordenavam os gastos.

*Atualização às 16h22 para inclusão de nota das assessorias de Fabiano Contarato (PT-ES) e Rogério Carvalho (PT-SE)

NEM VI. Após a Coluna informar, nesta quarta, 11, que quatro parlamentares do PT usaram verbas do orçamento secreto, alvo de críticas de Lula, o senador Fabiano Contarato (ES) disse em nota que não sabia que os R$ 19 milhões destinados por ele à Saúde em seu Estado se tratavam de “emenda do relator”. “O recurso foi destinado durante período de calamidade pública via Fundo Estadual de Saúde. Eu não tinha conhecimento de que se tratava de emenda de relator”.

MAIS CIDADES. A assessoria de Rogério Carvalho (SE) afirma que o senador não destinou recursos exclusivamente para Brasília e Vila Boa, mas apoiou uma emenda que atendeu a diversos municípios, inclusive cidades sergipanas. “As emendas contemplam os municípios citados e milhares de outros municípios de todo país”, disse. As emendas apoiadas por ele são de R$ 218 milhões e R$ 4,391 bilhões, que atenderam cidades em todo o Brasil.

SINAIS PARTICULARES (por Kleber Sales). Lula, ex-presidente (PT)

COR. O marqueteiro Sidônio Pereira está convencido de usar a bandeira do Brasil nas próximas aparições de Lula. Para ele, deu certo a ideia de exibir o símbolo contra o bolsonarismo.

PLANÍCIE. Atrás nas pesquisas e fora do governo de São Paulo, João Doria (PSDB) ganhou menos afagos neste ano, durante sua passagem pela cerimônia do Person of the Year, em Nova York. As atenções ficaram voltadas para o presidente da Câmara, Arthur Lira, que ficou ao lado de nomes como André Esteves, do BTG, e Luiz Carlos Trabuco, do Bradesco.

PRONTO, FALEI! Aloysio Nunes, ex-chanceler

“Eu confesso que o prato lula com chuchu é muito apetitoso”, disse o tucano, em referência a Lula-Alckmin. Ele diz, porém, que ainda aguarda definição da terceira via.

CLICK. Luiza Trajano, executiva do Magazine Luiza

Em jantar onde foi homenageada no Person of the Year, com Roberto Sallouti, CEO do BTG Pactual, Fafá de Belém e Arthur Lira, em Nova York.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.