Odebrecht chama embaixadores e professor de chinês como testemunha

Odebrecht chama embaixadores e professor de chinês como testemunha

Andreza Matais

21 Junho 2018 | 09h26

Foto: Cassiano Rosário/Futura Press

Marcelo Odebrecht arrolou dois embaixadores do Brasil no exterior como suas testemunhas na ação penal em que é acusado de pagar propina ao governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), na chamada Operação Acrônimo.

A defesa do empresário chamou Norton de Andrade Mello Rapesta e Antônio Patriota. O primeiro é o atual embaixador no Kuwait. O segundo é o embaixador na Itália. Odebrecht também arrolou o professor de chinês que reside na China, Alessandro Golombiewski Teixeira. (Andreza Matais)