O Brasil quer saber: Moro fica no governo?

O Brasil quer saber: Moro fica no governo?

Coluna do Estadão

27 de janeiro de 2020 | 05h00

Jair Bolsonaro e Sérgio Moro. FOTO: GABRIELA BILO/ESTADÃO

O presidente Jair Bolsonaro retorna esta semana ao Brasil depois da viagem à Índia, com passagem pela África, ofuscada em parte pelo mais novo embate com Sérgio Moro. Disputa esta que monopolizou a atenção dos brasileiros e, ao que tudo indica, permanecerá como grande incógnita governista. Nas buscas relacionadas ao ex-juiz feitas ao Google nos últimos sete dias, a que aparece em destaque é “Moro pode deixar o governo”. A procura teve um super aumento repentino quando Bolsonaro afirmou que poderia reduzir os poderes do ministro.

Óleo. A busca ao termo “Bolsonaro frita Moro” aumentou 2.800% no período.

Continua. No entorno do presidente e do ministro, ninguém põe a mão no fogo para afirmar que a guerra acabou. A dúvida sobre se o “superministro” continua ou não na gestão Bolsonaro vem desde março de 2019, como mostra o Google, quando Bolsonaro negou a Moro a indicação de Ilona Szabó para cargo na pasta.

Vixe. Palacianos estão em alerta depois de Alberto Fraga dizer ao Correio Braziliense que teve o WhatsApp clonado. O canal é usado para falar com Bolsonaro.

De olho. O governo lança no próximo dia 12 um raio x do Executivo na internet: uma plataforma que terá informações detalhadas de Orçamento, pessoal, cargos e serviços prestados.

De olho 2. A ideia da Economia é, ao longo do ano, ampliar o escopo para contratos administrativos da Esplanada, custeio com vigilância, transporte, etc.

Vocês também. Mais para frente, a pasta quer também uma seção de parlamentares. Assim, o cidadão conseguirá ver o valor e a destinação das emendas.

SINAIS PARTICULARES.
Onyx Lorenzoni,
ministro da Casa Civil

Kleber Sales

Costas… Um articulado governista diz o real motivo para Onyx Lorenzoni seguir no coração do governo: se ele sair, Bolsonaro perde automaticamente a ponte com Davi Alcolumbre.

… quentes. O ministro da Casa Civil apostou no senador e foi um dos principais fiadores de sua candidatura para a presidência da Casa. Enquanto a Câmara mantém perfil mais independente, o Senado tem sido mais governista no último ano.

Vai polarizar… O deputado Paulinho da Força (SD-SP) tem uma solução para a MP de Bolsonaro que muda a base de cálculo do salário mínimo. Vai apresentar emenda para retomar o cálculo que também levava em conta a média do PIB de dois anos anteriores.

… tudo de novo. Apesar da enorme resistência à MP do governo, que, na prática, reduz o potencial de aumento do salário, há um problema político na solução de Paulinho, segundo parlamentares: é uma medida elaborada pelo governo Lula.

Tô indo. Rodrigo Maia deve encontrar lideranças sindicais para tratar da MP e da do Trabalho Verde e Amarelo nesta semana.

Esperança… O comando da Fundação Perseu Abramo, ao que tudo indica, deve ficar com Aloizio Mercadante, de perfil mais acadêmico e independente. Ele deve ampliar o diálogo da fundação com a sociedade civil.

… viva. Com a expectativa de Fernando Haddad assumir o conselho, petistas mais pragmáticos torcem para que conversas com outros partidos progressistas sejam feitas via fundação.

PRONTO, FALEI!

Foto: Dida Sampaio/Estadão

Marco Feliciano, deputado federal (Sem partido-SP): “O noivado do Bolsonaro com os evangélicos vai virar casamento, e agora com data marcada: 2021”, sobre a mudança da embaixada de Israel para Jerusalém.

COM MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA.

Coluna do Estadão
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: