“Parlamentares independentes” vão votar contra renegociação se texto for mantido

Deputados são contra manter no projeto impedimento para reajuste de servidores públicos

Coluna do Estadão

08 de agosto de 2016 | 23h57

O deputado federal Julio Delgado (PSB-MG) | Ed Ferreira/Estadão

O deputado federal Julio Delgado (PSB-MG) | Ed Ferreira/Estadão

 

Reunidos na noite de hoje integrantes do “grupo de parlamentares pluripartidário independentes” definiram a primeira ação em conjunto a ser anunciada nesta terça-feira.  O bloco, formado por parlamentares de vários partidos, vai anunciar voto contra o projeto de renegociação as dívidas dos Estados caso o governo insista em manter proibição de reajuste para servidores públicos. Pelo projeto, quem aceitar renegociar dívidas terá de proibir por dois anos a concessão de vantagens e aumentos para o funcionalismo.

“Se não for retirado do texto a parte dos servidores vamos votar contra. Os Estados e municípios têm que ter autonomia”, afirmou à Coluna do Estadão o deputado Júlio Delgado (PSB-MG), um dos organizadores do novo grupo. Dez parlamentares participaram da reunião que terminou há pouco.

Como revelou a Coluna do Estadão, os deputados insatisfeitos com o Centrão ou a Antiga Oposição (PSDB, DEM e PPS), dois grupos de apoio ao governo Temer, decidiram se organizar no bloco que será formado por nomes de vários partidos. “Somos aqueles que garantiram a eleição de Rodrigo Maia à Presidência da Câmara e vamos agregar mais gente a depender do assunto. Não somos o Centrão nem a Antiga Oposição. Somos independentes”, explicou Delgado. Ele nega que será um líder desse grupo. “O grupo funcionará como uma nuvem”, resumiu. (Andreza Matais)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.