Nos Estados, 178 penduricalhos ampliam efeito cascata do Judiciário

Nos Estados, 178 penduricalhos ampliam efeito cascata do Judiciário

Coluna do Estadão

27 de fevereiro de 2019 | 05h00

É maior do que se supunha o efeito cascata nas contas públicas provocado pelo reajuste nos salários do Judiciário. Levantamento obtido pela Coluna com base nos Tribunais de Justiça dos 27 Estados mostra que pelo menos 178 benefícios e gratificações, os chamados penduricalhos, estão atrelados, via porcentual, aos vencimentos dos magistrados. Em Minas, por exemplo, os 1.537 juízes e desembargadores, ativos e inativos, tiveram reajuste automático do auxílio-livro e do auxílio-saúde. Nesse último caso, alguns saíram de R$ 3.047 para R$ 3.547/mês.

A propósito. Jair Bolsonaro gostou da ideia de incluir na reforma da Previdência aposentadoria compulsória de ministros do Supremo após 20 anos de serviço público. Tiraria ao menos cinco da Corte.

Presta… Se o governo federal não voltar atrás na suspensão do subsídio na conta de luz, que beneficiava ruralistas, o caso pode parar no STF, avisa um membro da Frente Parlamentar da Agropecuária.

… atenção. O caso passou pelo TCU, que deu parecer contrário ao benefício. “O tribunal está metendo a colher onde não deve. Subsídio é política pública, política pública é coisa do Executivo”, afirma o tucano Domingos Sávio (MG).

Prévia. A reunião da bancada do DEM, ontem, deu uma sinalização da dificuldade que a reforma de Jair Bolsonaro enfrentará no Congresso. Nem o partido do presidente da Câmara está 100% satisfeito com o texto. Não há consenso nem mesmo sobre a capitalização, ponto que Rodrigo Maia já disse que “aprova fácil”.

Ainda…. Parlamentares que trabalharam com Ana Beatriz Groba na Câmara destacam a habilidade técnica da funcionária que agora assumirá Subchefia de Assuntos Parlamentares da Casa Civil de Onyx.

… falta. Lembram, no entanto, que a substituta de Leonardo Quintão não tem perfil político, ponto fraco do governo na tumultuada relação com o Congresso.

Assim fica fácil. Nenhum petista fez perguntas para o ministro da Educação, Ricardo Vélez, em audiência pública ontem no Senado. Na véspera, o MEC havia disparado e-mails pedindo para alunos lerem carta com o slogan do governo, conforme revelou o Estado.

CLICK. Sem mandato, o aliado de primeira hora de Bolsonaro, Magno Malta, circulou ontem no Senado. No café, conversou longamente com Eduardo Girão (PROS-CE).

Tamanho… Um veterano de campanhas acha que o maior problema eleitoral de Bruno Covas (PSDB) está longe de ser a provável candidatura do PSL em 2020.

….da encrenca. Antes de encarar um nome do PSL de Jair Bolsonaro, o prefeito de SP precisa ordenar o caos que toma conta da cidade neste início de ano e criar uma marca da gestão.

Receita. Covas também tem de buscar uma imagem pessoal mais afirmativa: ressalvadas algumas exceções, paulistanos costumam eleger personalidades fortes, observa o veterano.

SINAIS PARTICULARES

NOVOS LÍDERES DO CONGRESSO

Delegado Waldir, líder do PSL na Câmara (GO).

Crédito: Kleber Sales

Pre-pa-ra. O presidente do PSL em São Paulo, Major Olímpio, acha que, a exemplo do que ocorreu no Senado, onde a pressão das redes sociais com o “Fora, Renan” foi decisiva na eleição da Mesa, Janaína Paschoal pode ser beneficiada na Assembleia.

Auxílio. Olímpio lembra que, na Assembleia paulista, o voto para a escolha da Mesa Diretora é aberto e favorece a pressão. O senador do PSL não descarta baixar no plenário da Casa para pedir votos, à sua maneira pouco discreta, para a correligionária de PSL.

PRONTO, FALEI!

Foto: André Dusek/Estadão

Aguinaldo Ribeiro, deputado federal (PP-PB): “Eu não conheço nova política nem velha política. Só conheço a boa e a má”, sobre o que o governo tem dito a respeito das relações entre o Congresso e o Executivo.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao