Noronha integrará turma que analisa caso Queiroz

Noronha integrará turma que analisa caso Queiroz

Coluna do Estadão

13 de julho de 2020 | 02h00

João Otávio de Noronha, corregedor nacional de Justiça. Foto: Divulgação

Os destinos de Fabrício Queiroz e João Otávio de Noronha parecem mesmo estar entrelaçados. Ao deixar a presidência do STJ, em agosto próximo, o ministro fará parte da Quinta Turma do tribunal, ou seja, continuará analisando o caso do ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e amigo de longa data do presidente Jair Bolsonaro. O habeas corpus de Queiroz é de relatoria do ministro Felix Fischer, mas foi decidido em caráter excepcional por Noronha recentemente pelo fato de ele ser o presidente e ter o poder, no recesso, de deliberar em casos urgentes.

Muda? A Quinta Turma do STJ, da qual Fischer também faz parte, é considerada linha dura com os réus. Noronha entrará no lugar do ministro Jorge Mussi. A vaga de Celso de Mello no STF, para qual o atual presidente do STJ é cotado, abre em novembro deste ano.

A ver. Nos bastidores do Planalto é consenso: Noronha ganhou pontos com Bolsonaro. Se não for escolhido na próxima, permanecerá bem posicionado na fila.

O mundo… Gilmar Mendes e os advogados do chamado campo progressista do direito, muitos próximos ao PT, se reconciliaram publicamente. Em live do Prerrogativas no sábado passado (11/07), integrantes do grupo reconheceram as “posições corajosas e contra majoritárias” do ministro no Supremo.

…gira. De seu lado, Gilmar Mendes acusou o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) de corporativismo e criticou Deltan Dallagnol, música para os ouvidos dos advogados. Num passado recente, Gilmar foi duramente criticado pela esquerda durante o longo inferno astral de Dilma Rousseff.

Mais do que… Por que o governo não consegue trocar Ernesto Araújo do Itamaraty agora? O maior temor, segundo palacianos, é de passar a mensagem de que estão abandonado o barco de Donald Trump. É sabido e notório o tanto que o chanceler é chegado aos americanos.

…amigos. Diplomatas explicam: Araújo apostou as fichas na gestão de Trump nos EUA. Se ele não for reeleito, vai ser muito difícil permanecer no cargo. Por outro lado, antecipar essa derrota e tentar mudar o rumo da política externa agora poderia contrariar os americanos.

Tô… O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), ficou duas semana de home office quando adoeceu por covid-19. Seus sintomas eram cansaço, dor nos olhos e falta de ar. O tratamento foi feito com azitromicina.

…fora. Barbalho lamenta a politização em torno dos medicamentos de combate à covid-19 no País: “No Brasil, a direita quer ‘black friday’ e a esquerda quer ‘lockdown’”.

SINAIS PARTICULARES
Helder Barbalho, governador do Pará

Receita. Sobre Jair Bolsonaro ter se tornado uma espécie de “garoto propaganda” da cloroquina, o governador disse que o “assunto é para os profissionais da medicina tratarem com seus pacientes”.

Como foi. No Pará, Barbalho diz ter garantido aos profissionais de saúde acesso à hidroxicloroquina, azitromicina e a todos os medicamentos possíveis para tratamento da covid-19. A palavra final é dos médicos, afirma
ele.

CLICK. O governador de São Paulo, João Doria, publicou foto com a mulher, Bia, em redes sociais no domingo: “Quem tem família tem tudo”, escreveu.

Somar. Izabela Patriota, doutoranda em direito econômico pela USP, mestre pela UnB, é a nova diretora de políticas públicas do movimento Livres.

Alexis Fonteyne. Foto: Rodrigo Pertoti/Câmara dos Deputados

PRONTO, FALEI!
Alexis Fonteyne, deputado federal (Novo-SP)

“Onde já se viu perdoar alguém que nunca pediu perdão? Reconhece que assaltou o Brasil com o mensalão e o petrolão, pede perdão ao País, PT.”

 

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, RAFAEL MORAES MOURA E MARIANNA HOLANDA

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.