No Japão, Temer vai tentar contornar mal-estar deixado por Dilma

No Japão, Temer vai tentar contornar mal-estar deixado por Dilma

Coluna do Estadão

15 de outubro de 2016 | 15h05

Temer, Marcela e Jose Serra na chegada à Índia, para os Brics. Foto: Beto Barata/ Planalto.

Temer, Marcela e José Serra na chegada à Índia, para os Brics. Foto: Beto Barata/ Planalto.

Em viagem internacional para participar dos Brics, na Índia, o presidente Michel Temer defendeu interesse em estabelecer uma relação “cada vez mais sólida com o Japão”, lembrando que o “número de empresas japonesas no Brasil é muito grande”. Após a Índia, Temer segue para o Japão.

A iniciativa do presidente tenta consertar um mal-estar deixado pelo governo de Dilma Rousseff com o cancelamento da viagem ao Japão, em novembro passado. À época, diplomatas foram surpreendidos com a suspensão da viagem pela imprensa.

Dilma teria uma intensa agenda de compromissos em Tóquio nos dias 3 e 4 de dezembro, com audiências com o imperador japonês Akihito e com o primeiro-ministro Shinzo Abe. Além do Japão, Dilma também cancelou a ida ao Vietnã. (Naira Trindade)