Negociação avança e federação entre Rede e PSOL já é dada como certa

Negociação avança e federação entre Rede e PSOL já é dada como certa

Camila Turtelli e Matheus Lara

10 de março de 2022 | 05h00

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Foto: Agência Senado

Enquanto algumas federações morrem, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) dá como certa a união entre Rede e PSOL. “Não vejo possibilidade disso não se concretizar”, disse o senador à Coluna. Para ele, esse arranjo poderá eleger pelo menos 20 deputados federais, dois senadores e garantir a sobrevivência das siglas. Só em São Paulo, ele acredita que Guilherme Boulos poderá ser um puxador de votos e trazer mais seis nomes com ele. Randolfe conversou nesta quarta-feira, 9, com Juliano Medeiros, presidente do PSOL, que diz estar otimista, mas que não há uma decisão tomada: “ainda estamos discutindo”. Os partidos precisam bater o martelo até dia 31 de maio, prazo estabelecido pela Justiça Eleitoral.

CADÊ? Nos bastidores, parlamentares do PSOL esperam que a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva, fundadora da Rede, se posicione sobre a federação para as tratativas avançarem. Eles avaliam que, se a ex-ministra disser “sim”, o caminho será mais fácil.

MAIS. Durante o jantar da bancada ruralista em homenagem à ministra Tereza Cristina, lideranças pediram ao presidente Jair Bolsonaro não só empenho na aprovação do projeto sobre exploração mineral em terras indígenas, mas também sobre demarcação de terras indígenas.

TÁ PRONTO. O projeto que trata sobre demarcação de terras indígenas foi aprovado no meio do ano passado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, com muita polêmica, e, agora, pode ser levado ao plenário da Casa a qualquer momento.

CLICK. Perpétua Almeida, deputada federal (PCdoB-AC)

Parlamentar acriana (esq.) participou do “Ato pela Terra” ao lado do ator Lázaro Ramos e da colega da Câmara Jandira Feghali (PCdoB-RJ).

DERRUBE ISSO AÍ. Empresários e associações comerciais marcaram posição de forma contundente contra o veto de Jair Bolsonaro ao projeto de recuperação fiscal (Refis) das micro e pequenas empresas.

SCRIPTA MANENT. Nos últimos dias, os 81 senadores receberam cartas de grupos empresariais e da Confederação das Associações Comerciais do Brasil (CACB) em defesa da derrubada do veto. “São 437 mil empresas endividadas junto à receita federal no âmbito do Simples. Uma dívida que chega a R$ 20 bilhões. O Refis é vital”, afirmou Itamar Manso, da CACB.

PRONTO, FALEI! Carlos Sampaio, deputado federal (PSDB-SP)

“Simplesmente não consigo aceitar que, enquanto a maioria das cidades brasileiras passa dificuldades, o País gasta R$ 4,9 bilhões com políticos (fundão eleitoral).”

À MODA ANTIGA. Após a repercussão de sua declaração sobre mulheres terem “o prazer de escolher a cor das unhas e o sapato que vão calçar”, o procurador-geral da República, Augusto Aras, disse ter sido mal compreendido e que não quis diminuir o papel da mulher.

SINAIS PARTICULARES (por Kleber Sales). Augusto Aras, procurador-geral da República

PIPOCA. Fernando Henrique Cardoso (PSDB) teve uma sessão de cinema exclusiva ontem na Fundação FHC. Ele assistiu à versão final do documentário O Presidente Improvável, baseado em conversas do ex-presidente com 20 personalidades, como Bill Clinton, Gilberto Gil e Pedro Malan.

TELONA. “É o diálogo que faz o País andar para frente. Espero que o filme deixe esta mensagem”, disse FHC à Coluna. O longa produzido pela Giros Filmes chega aos cinemas no próximo dia 31 de março e é dirigido por Belisario Franca.

Foto: Vinicius Doti/Fundação FHC

 

RODOVIAS… Braço da Secretaria de Logística e Transportes com o objetivo de implantar novas tecnologias nas estradas paulistas, o Laboratório de Rodovias Inteligentes realiza nesta quinta-feira (10), no auditório da Artesp, o webinar “Desafios para acelerar a implantação do free-flow nas rodovias de SP”, com transmissão pelo YouTube da SLT.

… DO FUTURO O free-flow (sistema de cobrança de tarifas nas estradas por quilômetro rodado) vai entrar em operação no trecho norte do Rodoanel, com leilão de concessão agendado para o mês que vem. “O free-flow é importante porque traz justiça tarifária e mais agilidade a todos”, disse o secretário João Octaviano de Machado Neto.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.