Nas redes, grupo de Bolsonaro leva a melhor

Nas redes, grupo de Bolsonaro leva a melhor

Coluna do Estadão

22 de outubro de 2019 | 05h00

Deputada Joice Hasselmann. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Ao menos nas redes sociais, a narrativa da ala bolsonarista do PSL parece ter levado a melhor. Deputados alinhados a Luciano Bivar (e até ele próprio) têm sido chamados de “traíras” e viram seguidores evaporar, conforme mostra levantamento feito pelo Atlas Político, a pedido da Coluna. Principal expoente do grupo, Joice Hasselmann perdeu mais de 200 mil seguidores nos últimos dias, no Twitter e no Facebook. Carla Zambelli, da ala bolsonarista, ganhou 26,7 mil. Ela fez campanha nas redes pedindo que as pessoas deixassem de seguir Joice.

Boa de briga. Em reservado, deputados se queixam da pressão. Joice e Dayanne Pimentel têm enfrentado os seguidores mais radicais. A ex-líder atribui os ataques à “milícia digital”.

Baixa. Luciano Bivar, presidente nacional do PSL, e Delegado Waldir também perderam força nas redes, em menor proporção.

Alta. Pivô do escândalo das candidaturas laranja em Minas Gerais, a deputada Alê Silva está bem na foto. Aliada de Eduardo Bolsonaro, saltou de 799 seguidores para quase 20 mil. Antes da crise, recebia menos de cem curtidas em um tuíte, agora chega a quase 10 mil.

O homem… Davi Alcolumbre (DEM-AP), no melhor momento da aventura Eduardo Bolsonaro embaixador, contabilizou pouco mais de 30 votos favoráveis ao filho do presidente da República no Senado.

…que calculava. Para quem entende da Casa, é pouco para um presidente em início de mandato, ainda que a empreitada tenha enfrentado rejeição na opinião pública desde o início.

SINAIS PARTICULARES. Davi Alcolumbre, presidente do Senado; por Kleber Sales

Casa. Alcolumbre aproveitará a estadia no Planalto, com Bolsonaro fora, para assinar decreto que facilita a transferência de terrenos da União ao Amapá.

CLICK. A vereadora Janaína Lima (Novo-SP) aproveitou a crise no PSL para propor um contraponto: “No Partido Novo é diferente. Precisa de mais exemplos?

 

Foto: Reprodução/Twitter Janaína Lima

À direita… Assim como Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e o Partido Novo, o PT da Câmara tem restrições ao projeto de previdência dos militares.

…e à esquerda. Os petistas questionam: 1) a gratificação por representação para generais, que passaria a ser vitalícia; 2) a integralidade e a paridade nos reajustes entre ativa e reserva; 3) a gratificação de habilitação, considerada muito desigual entre patentes.

Inovação. Por fim, a bancada petista acredita que o foco não deveria ser o gasto com pessoal, mas o investimento em tecnologia.

Falei! De Carlos Lupi, presidente do PDT, sobre a entrevista do governador Camilo Santana (PT-CE) ao Estado: “Foi o PT quem escolheu atacar Ciro primeiro, quando o isolou na campanha. O governador é lúcido quando fala da falta de autocrítica do PT”.

PRONTO, FALEI!

Foto: Reprodução/Túlio Gadêlha

Do deputado federal Túlio Gadêlha (PDT-PE): “Se não fosse o povo limpando com as próprias mãos, a situação estaria muito pior”, sobre as manchas de óleo cru nas praias de Pernambuco.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA. COLABORARAM MARCELO GODOY E DIEGO KERBER.

Acompanhe nas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: