Nas redes de Bolsonaro, pandemia em 2º plano

Nas redes de Bolsonaro, pandemia em 2º plano

Coluna do Estadão

28 de dezembro de 2020 | 05h00

Foto: Isac Nóbrega/Presidência

No ano em que o País perdeu 191 mil vidas para a covid-19, Jair Bolsonaro falou mais sobre “obras” e “empregos” do que sobre a pandemia nas redes sociais. Levantamento feito pela Bites Consultoria com as palavras ditas pelo presidente no Twitter, Facebook e Instagram mostra que os dois primeiros termos foram citados 765 vezes, contra 602 menções a “pandemia”, “covid-19” e variações. Desde o começo da crise, Bolsonaro adotou tom de falso dilema: salvar vidas ou empregos? Ele também falou mais sobre cloroquina do que vacinas (117 contra 82).

Pressa… No final de semana, o presidente afirmou que não se sente pressionado para iniciar a vacinação no País. Depois, justificou que seria acusado de irresponsabilidade se fizesse pressão pela vacina.

…pra quem? México, Chile, Costa Rica, Estados Unidos, União Europeia e outros países e regiões já começaram a imunizar.

Raio X. No seu primeiro ano de governo, Bolsonaro conseguiu 9,9 milhões de novos seguidores no Twitter, Facebook e Instagram. Neste ano, foram 5,8 milhões, redução de 41%. A Bites também registrou queda nas interações (curtidas, compartilhamentos, comentários e retuítes) de 22%.

Arena… Segundo o diretor da Bites, Manoel Fernandes, Bolsonaro continua sendo a maior força política digital do País. Mas, se quiser se manter num bom patamar para 2022, vai precisar melhorar seus números.

…digital. “Porque, mesmo com esses números, Bolsonaro perdeu aliados importantes nas redes que antes propagavam a sua mensagem”, disse Fernandes. Em 2020, a ala ideológica perdeu espaço no governo.

A pandemia… Ao longo do ano, Paulo Guedes patinou com a agenda econômica. Sem apoio no Congresso nem do próprio governo, tentou viabilizar a reforma tributária com proposta de se criar um novo tributo, tipo uma nova CPMF.

…em ilustrações. O próprio Bolsonaro desautorizou a medida. Pegou tão mal que parlamentares repaginaram o apelido dado pelo presidente ao economista. Passou a ser chamado de “Imposto Ipiranga”.

SINAIS PARTICULARES. 
Paulo Guedes, ministro da Economia

Ilustração: Kleber Sales

Condições. Parte da bancada do PT na Câmara deve apresentar hoje ao candidato Baleia Rossi (MDB-SP) a proposta para que o partido fique, de fato, com a vice-presidência da Casa na chapa patrocinada por Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Pedido de… O cargo seria uma espécie de “recompensa” pelo apoio do partido. A avaliação é de que seria um gesto para ajudar a unificar a bancada de 53 deputados em torno de Baleia.

…indenização. Parte dos petistas ainda se ressente pelo impeachment de Dilma Rousseff

CLICK. De férias, Felipe Carreras (PSB-PE) anda até subindo em árvores. Nos bastidores, o deputado continua na ativa: é um dos defensores de Arthur Lira no PSB.

Reprodução/Instagram

Time. Prefeito eleito do Recife (PE), João Campos (PSB) anunciará hoje mais nomes que vão compor a sua gestão. Dentre eles, o de Cultura. Até para fazer os anúncios seguirá promessa de campanha de paridade de gênero: será um secretário, uma secretária.

Dança das cadeiras. Campos trará nomes do governo estadual, de Paulo Câmara (PSB), e manterá alguns da atual prefeitura, de Geraldo Júlio (PSB), mas em outros cargos. Ontem, anunciou o primeiro: Fred Amâncio para a Educação.

PRONTO, FALEI!

Foto: Luis Macedo / Câmara dos Deputados

Alê Silva, deputada federal (PSL-MG): “Nem que viesse pintado de ouro o candidato de Rodrigo Maia, eu votaria. Tenho consciência de que não podemos ter um opositor na presidência da Câmara.

COM REPORTAGEM DE MARIANNA HOLANDA (INTERINA) E MARIANA HAUBERT. 

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.