‘Não temos tempo para festas’, diz ministro da Defesa sobre declaração de Maia

‘Não temos tempo para festas’, diz ministro da Defesa sobre declaração de Maia

Juliana Braga

20 de março de 2019 | 06h00

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva. Foto: Dida Sampaio

O ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, reagiu à declaração do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, de que os militares teriam chegado no “finalzinho da festa”. O ministro, que conversou com Maia durante a elaboração da proposta da reforma da Previdência que deve ser apresentada hoje, estranhou a afirmação do parlamentar.

“Nos navios e submarinos; nas fronteiras, na Amazônia até os Pampas; e dentro de aeronaves e nos controladores cuidando do nosso espaço aéreo. Não temos tempo para estar no início e no final de festas”, rebateu o ministro à Coluna.

Na tarde de terça-feira, Maia afirmou que, apesar da defasagem das remunerações dos militares, a situação fiscal do País deixa pouca margem para concessões à categoria. “O problema é que estamos no fim da festa. O Brasil quebrou e eles (os militares) estão querendo entrar nesta festa no finalzinho, quando já está amanhecendo, a música está acabando e não tem mais ninguém para dançar”, afirmou nesta terça-feira, 19.

A declaração caiu muito mal nas Forças Armadas. Militares de alta patente estão preocupados com as mudanças que os deputados já ameaçam a fazer na proposta, com a retirada do período de transição para as novas regras.

Também causa tensão a possibilidade de separarem a tramitação da reestruturação da carreira da reforma da Previdência e a proibição de militares da reserva exercerem cargos no Executivo. (Juliana Braga)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.