‘Não tem como partir para agressão para que isolamento aconteça’, diz governador do Amazonas

‘Não tem como partir para agressão para que isolamento aconteça’, diz governador do Amazonas

Coluna do Estadão

12 de maio de 2020 | 05h10

Foto: Diego Peres / Secom-AM

Com o colapso na saúde, o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), reconhece que o isolamento social é hoje a única forma de frear o avanço do coronavírus. Mas, diferente de governadores de Estados vizinhos que já até implementaram o lockdown, ele sequer estuda a medida por ora.

Segundo contou, tem atuado junto às policiais para conscientizar a população. “Mas não tem como partir para cima das pessoas, não tem como partir para agressão para que isso (isolamento social), efetivamente, aconteça. O nosso povo já está muito sofrido com essa pandemia”, afirmou à Coluna.

Alvo de um processo de impeachment na Assembleia do Amazonas, o governador disse ter em mãos um estudo que diz que o Estado está no pico agora e na próxima semana os casos devem diminuir. Hoje são quase 13 mil infectados e mais de 150 mortes.

Lima informou ainda que nas regiões de periferia ainda encontra dificuldade em fazer com que as pessoas respeitem o isolamento, mas descarta estabelecer multas para quem descumprir regras, como utilização de máscara.

“A gente precisa encontrar um caminho para que haja também algum tipo de penalidade para aquelas pessoas que deliberadamente desrespeitam”, disse. “A população tem sofrido muito principalmente a população de baixa renda, o trabalhador informal que já chega no seu limite do uso do seu recurso então não seria justo que o estado agisse de uma forma mais agressiva”, completou.

LEIA A ÍNTEGRA DA COLUNA DESTA SEGUNDA AQUI.

Tudo o que sabemos sobre:

Wilson Limacovid-19Amazonascoronavírus

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.