Na TV, Jair Bolsonaro vai defender Lava Jato

Na TV, Jair Bolsonaro vai defender Lava Jato

Coluna do Estadão

16 de agosto de 2018 | 05h30

Jair Bolsonaro, candidato do PSL ao Planalto FOTO: Antônio Cocero/PhotoPress/ Estadão Conteúdo

Jair Bolsonaro vai defender o “fortalecimento da Lava Jato” em sua campanha no rádio e na TV. Com um dos menores tempos entre os presidenciáveis, apenas nove segundos, ele escolheu a segurança pública como mote. Sem marqueteiro, Bolsonaro diz que começa hoje a gravar os vídeos, do celular, em seu apartamento no Rio. Três frases serão mencionadas: “Pelo fortalecimento da Lava Jato”, “Pela revogação do Estatuto do Desarmamento” e “Em defesa da família”. Ele vai encerrar os programas dizendo seu nome, do seu partido e o número na urna.

Tema único. Com pouco tempo na TV, Bolsonaro não pretende falar de saúde e educação nos programas. “É preciso ter uma marca para a campanha toda”, disse à Coluna, escolhendo segurança como a sua.

Guerra é guerra. Bolsonaro diz que não vai usar seu tempo de rádio e TV para criticar os oponentes, mas estará de olho para pedir direito de resposta se for atacado. “Eu não tenho Paulo Preto do meu lado, não tenho Dersa, não tenho Rodoanel nem delatores da Odebrecht”, alfineta.

SINAIS PARTICULARES: Geraldo Alckmin e Jair Bolsonaro, candidatos do PSDB e PSL à Presidência

Jeitinho. A campanha de Geraldo Alckmin (PSDB) traçou uma estratégia para evitar ser punida com perda de tempo de TV por ataques a Bolsonaro. O enfrentamento não será feito diretamente. Os detalhes são guardados a sete chaves.

Benção. Alckmin apresentou seu material de campanha aos presidentes de partidos do Centrão em reunião terça-feira, à noite, em Brasília. Há santinhos só com o candidato e outros com a vice, Ana Amélia.

Deu like. Aliados de Alckmin saíram satisfeitos ao assistir ontem à primeira peça da campanha na TV do tucano.

Escalação. O time de Lula na arena eleitoral foi definido. A advocacia ficará a cargo de Maria Claudia Bucchianeri, em Brasília; Luiz Fernando Pereira, no Paraná; e Fernando Neisser, em São Paulo.

VAR. Os irmãos e ex-ministros do TSE Fernando e Henrique Neves fornecerão um parecer para a defesa de Lula. Em comum, todos os advogados escalados pelo PT são técnicos, sem vinculação partidária.

Só pensam nisso. Um dos temas mais populares entre os 11 candidatos que já apresentaram propostas de governo ao TSE é a reforma tributária. Seja para defender simplificação ou cobrança maior para os mais ricos, 10 tocaram no tema.

De carona. Outro assunto pop, o combate à corrupção, aparece em nove propostas. Somente Cabo Daciolo e Henrique Meirelles, o candidato de Michel Temer, não tocam no tema.

Só gogó. A reforma da Previdência é prometida por oito candidatos. Alckmin, Daciolo e Eymael ignoram o assunto nas propostas de governo.

CLICK. Candidato do Podemos ao governo do Piauí, o senador Elmano Férrer registrou seu nome de campanha para as eleições como ‘Elmano, o vein trabalhador’.

FOTO: TSE

Lulou. Aliados de Márcio Lacerda (PSB) já contam que a candidatura dele ao governo de Minas será impugnada. Adalclever Lopes (MDB) poderá substituí-lo.

Tenha fé. Os valores dos bens apresentados por Lula ao TSE não batem com os declarados em junho no inventário de Marisa Letícia. Os dados entregues ao TSE são autodeclaratórios.

PRONTO, FALEI! 

Foto: Dida Sampaio/Estadão

“Acho importante que os candidatos, especialmente à Presidência da República, se manifestem sobre as medidas de combate à corrupção. Além do discurso, tem que haver compromisso real com o combate à corrupção no Brasil”, DO SENADOR CRISTOVAM BUARQUE (PPS-DF). 

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E JULIANA BRAGA. COLABOROU RAFAEL MORAES MOURA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadão

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.