Na crise do voto impresso, Pacheco se fortalece como 3ª via

Na crise do voto impresso, Pacheco se fortalece como 3ª via

Alberto Bombig e Matheus Lara

11 de agosto de 2021 | 05h00

Rodrigo Pacheco (DEM-MG) é, por ora, quem mais soube lucrar politicamente com a crise do voto impresso. Em busca de encarnar a terceira via, o presidente do Senado se posicionou firmemente desde o primeiro momento em favor das instituições e da democracia. O contraste com Arthur Lira (PP-AL) também favorece Pacheco.

O presidente da Câmara, vacilante em relação a esses temas, sai desgastado com parte dos colegas do Centrão e da centro-direita por tê-los exposto em relação ao Planalto quando resolveu levar a votação ao plenário.

Olha só. Deputados governistas relataram à Coluna ameaças feitas por bolsonaristas via WhatsApp e muitos ataques em redes sociais. Há também dúvidas se os tanques teriam ido para a rua caso Lira tivesse respeitado o resultado da comissão especial e enterrado o voto impresso.

Surfando. Enquanto Lira suava na Câmara para garantir a viabilidade de sua manobra de derrotar em plenário o voto impresso, já derrotado na comissão, o Senado anulava a Lei de Segurança Nacional, e Pacheco dizia que “ninguém intimidará” o Congresso.

Deu ruim. O empenho final de Lira contra o voto impresso, telefonando diretamente para deputados, deixou em situação ainda mais complicada no Planalto o ministro Ciro Nogueira, do mesmo PP de Lira.

Uau. Pacheco conversa com o PSD de Gilberto Kassab sobre eventual candidatura a presidente em 2022.

Foto: Gabriela Biló/Estadão

Reação. O movimento Freio na Reforma, que reúne 33 instituições da sociedade civil, rebateu ponto a ponto argumentos da deputada Margarete Coelho (PP-PI) sobre a revisão do Código Eleitoral.

Avaliação. Para o grupo, a proposta limita a atuação da Justiça Eleitoral ao permitir que o Congresso suste resoluções do TSE que considere exorbitar seu poder regulamentador.

Luxo. Segundo o grupo, a liberação do Fundo Partidário para qualquer tipo de despesa dificulta questionamentos sobre o uso do dinheiro público para a compra de veículos de luxo e realização de eventos.

CLICK. Carlos Alberto Di Franco conversa com Michel Temer amanhã, 12, às 18h, no canal do YouTube do jornalista, sobre semipresidencialismo e outros assuntos.

Agenda… Deputados e senadores realizam hoje, 11, uma primeira reunião da Frente Parlamentar do Empreendedorismo, um novo grupo que se propõe a discutir o ambiente de negócios, a lei de privatizações e as reformas econômicas.

…liberal… O start será um encontro da coordenação da frente com o relator das novas regras do Imposto de Renda, deputado Celso Sabino (PSDB-PA).

…no Parlamento. A matéria deve ir a votação hoje mesmo. O grupo já tem encontro pré-agendado com o ministro da Economia, Paulo Guedes, em breve.

Ilustração: Kleber Sales/Estadão

Efeito. “A frente vem dos esforços de melhorar o ambiente de negócios e de desburocratização do País e para facilitar a vida de empresas, que sofrem pelos impactos da pandemia”, diz o deputado Marco Bertaiolli (PSD-SP), coordenador-geral da Frente.

Desafio. A adaptação de pequenos negócios ao ambiente digital e aos serviços de delivery durante a pandemia está entre os principais tipos de atendimento do Sebrae-SP em 2021.

Desafio 2. “Até 30 de julho realizamos 2.772.548 atendimentos em 2021, novo recorde histórico no Estado de São Paulo. A retomada já está acontecendo e forte”, diz o diretor-superintendente, Wilson Poit.

PRONTO, FALEI!

Flávio Dino, governador do Maranhão (PSB)

“Em 1964, parlamentares do “centrão” da época e da direita acharam que tanques não mexeriam com eles. Entraram nas primeiras listas de cassação dos mandatos. Essa vil ameaça de hoje não pode ficar impune.”

Foto: Marcos Corrêa/PR

Tudo o que sabemos sobre:

Rodrigo PachecoArthur LiraPSDvoto impresso

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.