Muda Senado encampa defesa política da Lava Jato

Muda Senado encampa defesa política da Lava Jato

Coluna do Estadão

03 de agosto de 2020 | 05h00

Muda Senado entrega carta em favor da prisão em segunda instância ao procurador-Geral da República, Augusto Aras. Foto: Divulgação/Gabinete Marcos do Val

Principal apoio político da Lava Jato, o grupo Muda Senado quer intensificar a reação aos ataques que o procurador-geral da República, Augusto Aras, tem desferido contra a operação. Os senadores apresentam hoje petição ao ministro do STF Edson Fachin pela imediata revogação da liminar concedida por Dias Toffoli, que determinou o compartilhamento dos dados da operação em Curitiba com a PGR, ou a análise do caso no plenário da Corte. Os senadores também devem se reunir com os integrantes de forças-tarefas para avaliar o cenário.

Bastiões. A defesa que o grupo faz da Lava Jato deixa a operação, atacada por diversos setores, menos isolada no mundo político e resguardada no Congresso.

Meeting. Os integrantes do Muda Senado também devem se reunir ainda hoje para traçar estratégias e avaliar as possibilidades.

Sem clima. Apesar de Aras ter demonstrado alguma preocupação com a PEC do senador Lasier Martins (Podemos-RS), que obriga o presidente da República a escolher um PGR a partir da lista tríplice, como mostrou a Coluna, o grupo acredita que ela não deve avançar neste momento. Mas, alguns parlamentares acreditam ser possível angariar apoio ao texto quando os trabalhos presenciais forem retomados.

CLICK. João Doria inaugura no Bandeirantes academia para os servidores do palácio, reformada com recursos privados. Na gestão Serra, o espaço era privativo.

Reprodução

Cadê? O Ministério da Justiça não é o primeiro órgão do governo a trabalhar com dossiês de adversários. Em março do ano passado, uma denúncia na CGU falava em um material intitulado “abrindo a caixa-preta da Ancine”, com fotos e publicações nas redes sociais de servidores de esquerda. O caso está parado.

Pode vir. A parlamentares, Rodrigo Maia tem dito concordar que a proposta de quarentena eleitoral para juízes não poderá retroagir. Ou seja, Sérgio Moro ficaria fora de alcance.

Run, Forrest… Na falta dos corredores da Câmara para pedir voto na disputa pela Presidência da Casa, o deputado Capitão Augusto (PL-SP) vai fazer campanha nos Estados. Começará por SP, PR, MT, SC e RJ, sempre de carro, claro.

…run! Ele diz ser o verdadeiro candidato conservador. Defende o afastamento do governo da disputa e diz que os colegas bolsonaristas, na hora do voto, “saberão diferenciar quem é aliado de quem está aliado”.

SINAIS PARTICULARES.
Capitão Augusto, deputado federal (PL-SP)

Ilustração: Kleber Sales

Velha… Membros da Juventude do PT, ouvidos reservadamente, estão irritados com a cúpula do partido, que decidiu transferir apenas 3% do fundo eleitoral para sete setores: jovens, combate ao racismo, LGBT, agrário, sindical, cultural e de meio ambiente.

…política? O grupo reivindicava 5% do total do fundo eleitoral somente para as suas candidaturas. Integrantes da juventude  dizem ainda que 30% dos recursos obrigatórios para mulheres serão usados para custear viagens da presidente da legenda, Gleisi Hoffmann e de Fernando Haddad, de olho em 2022. A prática pode ser questionada juridicamente.

Com a palavra 1. Depois da publicação, a Juventude do PT procurou a Coluna para dizer que faz “disputa sobre as nossas teses internamente” e a avaliação não havia sido do coletivo. “Temos a mais absoluta certeza de que o compromisso assumido pela Presidenta Gleisi e pelo conjunto do Diretório Nacional do PT de valorizar as nossas candidaturas será  cumprido”, diz o texto. A nota da Coluna foi corrigida para “membros da Juventude”. 

Com a palavra 2. O PT também afirmou, por meio de nota, que “não é verdadeiro” que haveria uso dos 30% destinados a candidaturas femininas para custear viagens de dirigentes.

Fiscalização. Será inaugurada nesta terça a primeira base fluvial da Amazônia Legal para o combate ao crime organizado na área de fronteira da região.

Onde. A Base Arpão ficará atracada no Rio Solimões, entre os municípios de Coari e Tefé, no AM.

De olho. A instalação custou R$ 17 milhões ao Ministério da Justiça e integra a Operação Hórus, um dos eixos do Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas (Vigia). O local é uma das principais rotas de escoamento de drogas da Colômbia e Peru.

BOMBOU NAS REDES!

Foto: Valéria Gonçalves/Estadão

Paulo Hartung, economista e ex-governador do Espírito Santo: O País precisa, urgentemente, de uma reforma administrativa que modernize o setor público. E que ela seja em favor da ‘corporação Brasil’, atendendo exclusivamente ao sindicato dos brasileiros”.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA. COLABOROU VERA ROSA.

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.