MPF acusa Joesley de sonegar dados sobre sócia

MPF acusa Joesley de sonegar dados sobre sócia

Luiza Pollo

14 Agosto 2017 | 05h24

O procurador Ivan Marx, do Ministério Público Federal no DF, acusa Joesley Batista de sonegar documentos importantes às investigações sobre a JBS. Responsável pela Operação Bullish, ele quer ampliar suas apurações e saber quem esteve por trás da Blessed LLC., sócia misteriosa do frigorífico, aberta em Delaware, paraíso fiscal americano, em 2009. Marx ouviu Joesley em 12 de junho e, desde então, requer os dados, sem sucesso. No dia 4, concedeu mais dez dias para o envio. “Ele não entrega. Ninguém sabe quem eram os sócios da empresa”, diz.

Enigma. Joesley e seu irmão, Wesley, informaram à Receita ter comprado 50% das ações da Blessed cada um. Mas não se sabe quem era o dono antes disso.

Em xeque. Marx já havia criticado a delação de Joesley por não conter provas de que os ex-presidentes Lula e Dilma foram beneficiários de contas no exterior com US$ 150 milhões.

Pré-datado. A JBS alega que, embora já tenha entregado “farto material”, mais provas e documentos serão apresentados à Justiça no “prazo firmado” na delação. E reitera que os delatores seguem em seu “firme propósito” de colaborar.

Blindagem. Aliados de Michel Temer tentam convencê-lo a concorrer a deputado federal em 2018, o que lhe garantiria foro no Supremo. Se for convencido, terá de deixar o cargo seis meses antes da eleição.

Vices. Como os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Eunício Oliveira, são os próximos na linha sucessória, mas também serão candidatos, se Temer sair, a Presidência cairia no colo da presidente do STF, Cármen Lúcia.

Expectativa. Eunício Oliveira (PMDB-CE) quer disputar o governo do Ceará de novo. Só desiste por Tasso Jereissati (PSDB-CE).

Sinais Particulares/Senador Paulo Paim, por Kleber Sales

Bola dividida. O senador Paulo Paim (PT) foi aconselhado por aliados a procurar Dilma Rousseff e tratar da eleição. Ela avalia concorrer ao Senado pelo RS.

PIB na urna. Ricardo Lacerda, do banco BR Partners, se filiou ao Partido Novo, que vem formando um time de empresários.

Cronômetro. O governo se arrependeu da medida provisória do Programa de Desligamento Voluntário de Servidores. Teme que o prazo vença e a MP caduque sem aval do Congresso.

Voto único. Jader Barbalho (PA) propôs a Eunício Oliveira que o distritão valha para o Senado. O eleitor votaria num só nome em 2018. Entrariam os dois mais votados por Estado.

Aqueles 10%. Advogados dizem que há 90% de chances de a delação do corretor Lúcio Funaro ser fechada esta semana.

CLICK. O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, simulou um bigode de algodão em plena lavoura. A foto foi divulgada  a apoiadores ontem, no Dia dos Pais.

Ticiani Maggi

The Oscar goes… João Santana disse à Lava Jato que usou na campanha Dilma-Temer equipamentos de Hollywood. Mas a reforma política não ataca os gastos com marqueteiros.

Cobiça. Irmão do ministro do TCU Vital do Rêgo, o deputado Veneziano Vital do Rêgo (PMDB-PB) tenta emplacar o superintendente da Funasa na Paraíba.

Discórdia. O cargo ficou vago com a saída da mulher de Veneziano, mas agora é disputado com o deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB).