Movimentos anti-Bolsonaro protocolam ação no MP para tentar ‘inverter’ protesto na Paulista em Sete de Setembro

Movimentos anti-Bolsonaro protocolam ação no MP para tentar ‘inverter’ protesto na Paulista em Sete de Setembro

Matheus Lara

19 de agosto de 2021 | 19h49

Uma coalizão de 15 movimentos sociais assina uma ação protocolada hoje no Ministério Público de São Paulo pedindo o direito de levar o “Fora, Bolsonaro” à Avenida Paulista no feriado de Sete de Setembro. Grupos bolsonaristas têm divulgado ato para a mesma data e local.

A movimentação na Justiça foi antecipada pela Coluna do Estadão. No documento à Justiça, os opositores do governo argumentam que é a vezes de se manifestarem, de acordo com o rodízio de atos que vem sendo mediado pela Polícia Militar desde junho do ano passado.

A PM liberou a Paulista para os apoiadores do governo justificando que houve um pedido de manifestação de direita para o dia 24 de julho e que naquela data a preferência foi dada aos grupos associados à esquerda. Na ação, os movimentos sociais contestam essa versão dizendo que o protocolo “de direita” feito para o dia 24 de julho era na verdade uma manifestação individual de cunho religioso.

“Os autores (da ação) foram informados (pela PM) de que (o ato marcado para 24 de julho) se tratava de ato de cunho religioso feito por uma única pessoa, que nos bancos da Polícia Militar, constava como de orientação político-ideológica compatível a situação”, dizem os movimentos na peça.

Ato de 29 de maio contra Bolsonaro na Av. Paulista. Foto: Taba Benedicto/Estadão

Assinam a ação os seguintes movimentos:
Acredito
Central de Movimentos Populares – CMP,
Coalizão Evangélica Contra Bolsonaro,
Coalizão Negra por Direitos, Federação das Associações Comunitárias do Estado de São Paulo – FACESP,
Federação Nacional dos Estudantes do Ensino Técnico – FENET,
Frente Brasil Popular,
Frente Cristã Socialista,
Frente Povo Sem Medo,
Intersindical
Marcha Mundial de Mulheres,
Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas – MLB,
Movimento de Mulheres Olga Benário e
Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto- MTST
União Brasileira de Mulheres – UBM
União dos Movimentos de Moradia – UMM

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.