Moro apoia projeto para monitorar visita de presos em unidades de segurança máxima

Moro apoia projeto para monitorar visita de presos em unidades de segurança máxima

Coluna do Estadão

26 de agosto de 2018 | 05h30

 

Foto: Alex Silva/Estadão

O ministro Raul Jungmann (Segurança Pública) recebeu o apoio do juiz Sérgio Moro para um projeto de lei que amplia significativamente o prazo de permanência de líderes de organização criminosa em presídios federais de segurança máxima e estabelece que as visitas a esses detentos só possam ocorrer nos parlatórios. A proposta deve ser encaminhada ao Congresso até o fim do ano. Atualmente, esses presos só podem ficar até o limite de um ano nesses estabelecimentos. A ideia é que o prazo dobre, podendo ser prorrogado indefinidamente.

Não me toque. Outro ponto é o monitoramento das comunicações do preso, incluindo visitas de familiares e advogados, que passariam a ocorrer em parlatórios, com separação de uma parede de vidro. O projeto é de autoria da Corregedoria da Justiça Federal.

Pega a visão. Uma das justificativas é que foram identificadas situações que indicam excesso nas visitas, como um preso que tem 37 advogados registrados. Também há casos de adoção de jovens órfãos para ampliar o número de “familiares” que podem visitá-los sem supervisão.

Deixa para lá. Apesar de Manuela d’Ávila estar caminhando com Fernando Haddad nas primeiras agendas públicas, o núcleo do PT acha melhor não explicitar seu papel na aliança. Percebeu que o eleitor está ficando muito confuso com essa história de vice do vice.

Falem bem ou mal… Interlocutores de Michel Temer encontraram uma explicação para ele ter virado a Geni da campanha. Dizem que isso só mostra que ele é uma referência do Centro, senão seria ignorado.

Tá em todas. O PT tem divulgado memes dizendo que “Alckmin ama Temer”. Os tucanos respondem que foi o PT quem fez Temer vice-presidente. Jair Bolsonaro (PSL) entra na briga e diz “PT, PSDB e Temer são a mesma coisa”.

Alto risco. A estratégia de Alckmin de apostar todas as fichas no horário eleitoral de TV para crescer nas pesquisas incomoda aliados. “Se der certo, tudo bem. Senão, é caixão e vela”, resume um tucano.

Agora vai? O Planalto fará esforços para construir o Linhão de Tucuruí, reduzindo a dependência de Roraima da energia importada da Venezuela. O Estado é o único que não está ligado ao Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

Apagão. O ministro Moreira Franco (Minas e Energia) admitiu à Coluna que o governo “está perseverando para solucionar o problema que se arrasta há 10 anos”. O impasse está na licença ambiental, uma vez que a obra passa por terra indígena. “Nosso sofrimento sem energia é indescritível”, resume a prefeita de Boa Vista, Teresa Surita (MDB).

 

CLICK. Irmã do presidenciável Ciro Gomes (PDT), Lia está com o título de eleitor cancelado por não ter feito cadastramento biométrico. Procurada, ela não respondeu.

OS PRESIDENCIÁVEIS

SINAIS PARTICULARES. Marina Silva, candidata da Rede.; por Kleber Sales.

Brasileiros… Por conta do aumento do número de eleitores no exterior, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) abrirá 26 novos postos de votação. A maior parte se concentra nos EUA, onde 16 mil brasileiros poderão registrar sua escolha em cidades como Orlando, Seatle, Dallas e Portland.

…pelo mundo. Também serão abertos novos locais de votação em Vêneto e Florença (Itália), Dubai (Emirados Árabes), em Colônia e Hamburgo (Alemanha) e até no Vale do Bekaa (Líbano). O número de eleitores no exterior aumentou 41% desde as eleições presidenciais de 2014.

A SEMANA

Terça-feira, 28

Primeira Turma do Supremo julga se recebe denúncia contra Jair Bolsonaro

A denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) é por racismo. No mesmo dia, serão ouvidas testemunhas na ação por ofensas a Maria do Rosário.

Sexta-feira, 31

Começa a propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV
No primeiro dia de exibição, serão veiculadas as peças dos candidatos a governador, a senador e a deputado estadual.

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E JULIANA BRAGA. COLABOROU AMANDA PUPO

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.