Ministros travam disputa interna para indicar nomes ao comando de agências

Ministros travam disputa interna para indicar nomes ao comando de agências

Camila Turtelli e Matheus Lara

12 de março de 2022 | 05h00

O governo tem entrado em conflito para definir indicações aos comandos de duas importantes agências reguladoras: a do Petróleo (ANP) e a de Energia Elétrica (Aneel). Nos bastidores, os ministros Ciro Nogueira (Casa Civil) e Bento Albuquerque (Minas e Energia) travam uma “queda de braços” para encampar nomes de sua confiança. Nesta semana, Ciro apresentou para avaliação do Palácio do Planalto o nome de Daniel Maia, auditor do Tribunal de Contas da União (TCU), para a diretoria da ANP. Já Bento Albuquerque tenta emplacar Agnes da Costa na Aneel. Na ANP, ele espera nomear Tabita Loureiro. Ambos os ministros foram procurados pela Coluna, mas não quiseram comentar a situação.

Foto: Dida Sampaio/Estadão

DEMORA. Enquanto não há decisão, o setor de óleo e gás pressiona para que o governo indique diretores definitivos para a ANP. Atualmente, três diretorias estão sob comando de substitutos da agência. Algumas fontes acreditam que isso pode atrasar discussões, como a regulamentação da lei do gás.

CARTAS. Há ainda na mesa das indicações outros nomes circulando. Symone Araújo, atual diretora da ANP, é cotada para recondução. O Ministério de Minas e Energia já enviou para apreciação do Planalto, por exemplo, o nome de Sandoval de Araújo Feitosa Neto para o cargo de diretor-geral da Aneel. 

TROCA. O deputado estadual Ricardo Mellão (SP) assume a liderança do Novo na Alesp, no lugar do colega Sérgio Victor. Ele ganhou destaque contra o aumento do ICMS e do IPVA durante a pandemia. 

ENCONTRO. Relatora do Conselho de Ética da Alesp, a deputada estadual Marina Helou (Rede-SP) buscou o apoio do cardeal dom Odilo Scherer à suspensão do colega de Casa Frederico D’Ávila (PL), que fez ataques ao arcebispo de Aparecida, dom Orlando Brandes, e ao papa Francisco.

OREMOS. “O cardeal concorda e acredita que o parlamentar precisa ser suspenso para que ofensas como estas não se repitam. Liberdade de expressão não pode ser confundida com ataques à democracia”, disse Helou. A suspensão por três meses está pronta para ser votada pelo plenário da Alesp.

FANTASMA. O reajuste dos combustíveis assombra Jair Bolsonaro. O vice-presidente do Congresso, Marcelo Ramos (PSD-AM), classificou o evento como uma “facada invertida”, relembrando atentado sofrido por Bolsonaro em 2018.

SINAIS PARTICULARES (por Kleber Sales). Jair Bolsonaro, presidente da República.

PRONTO, FALEI! Heni Ozi Cukier,  deputado estadual (Sem partido-SP)

“Crises são terreno fértil pro oportunismo populista. Controlar preço do combustível pode até trazer alívio momentâneo, mas esse alívio é pago hipotecando o futuro”

CLICK, Marina Helou, deputada estadual (Rede-SP)

Relatora do pedido de suspensão de Frederico D’Ávila na Alesp encontrou dom Odilo Scherer. “Estado é laico e todas as religiões merecem respeito.”

COMUNIDADE. Felipe d’Ávila e Vinicius Poit, do Novo, participam hoje de uma homenagem às mulheres idealizado pelo projeto social “EuAchoUmAbsurdo”. O Projeto incentiva educação e empreendedorismo na periferia. Irina Bullara, Mônica Rosenberg, Marina Helena e Vanessa Jackson também participarão. O Projeto existe desde 2014 e alcançou, na pandemia, mais de 60 mil pessoas.

COLABOROU MARLLA SABINO

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.