Ministro tucano trocou carta com Dirceu na prisão

Ministro tucano trocou carta com Dirceu na prisão

Andreza Matais

24 de setembro de 2018 | 12h40

Foto: Estadão Conteúdo

O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, conversa com frequência com o ex-ministro José Dirceu. O tucano mandou carta para o petista na prisão e, agora, com ele solto costuma trocar telefonemas.

O ministro disse à Coluna que é amigo de Dirceu há 50 anos e nega que trate com o articulador político do PT sobre a eleição. “Falo com ele sobre a vida. Também sempre pergunto ao filho dele (o deputado Zeca Dirceu) como ele está”, afirma. A carta, segundo o ministro, foi motivada pelo falecimento de um amigo em comum.

Dirceu foi preso pela Lava Jato, quando trocou carta com Aloysio, mas em junho ganhou a liberdade por decisão da maioria da Segunda Turma do Supremo e recorre em liberdade. Ele já foi condenado por corrupção, lavagem e organização criminosa na Operação Lava Jato. Também já havia sido preso por envolvimento no escândalo do mensalão.

Já Aloysio foi citado em delação premiada para a Lava Jato, mas em junho o ministro Celso de Mello determinou o arquivamento de um inquérito que investigava as suspeitas de que teria cometido os crimes de falsidade ideológica eleitoral (caixa 2) e lavagem de dinheiro por doação não contabilizada da UTC na campanha ao Senado, em 2010.

Depois de dois anos e oito meses de investigação, cumpridas todas as diligências requeridas pelo Ministério Público Federal, a PGR concluiu que não foram encontradas provas que justifiquem o prosseguimento do inquérito. (Andreza Matais)

Tudo o que sabemos sobre:

Aloysio NunesJosé DirceuPTPSDBcartas

Tendências: