Ministro da Saúde não consegue eleger parentes no Paraná

Ministro da Saúde não consegue eleger parentes no Paraná

­

Coluna do Estadão

30 Outubro 2016 | 18h30

Foto: André Dusek/Estadão

Foto: André Dusek/Estadão

Nem o irmão, nem a filha. O ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP-PR), foi duplamente derrotado nas eleições deste ano em seu estado, o Paraná. Ex-deputado federal e ex-prefeito de Maringá, o ministro viu seu irmão, Silvio Barros (PP), atual Secretário de Planejamento do Estado, ser derrotado nas urnas por Ulisses Maia (PDT) neste domingo.

Barros usou a agenda oficial de ministro para fazer campanha em favor de aliados no Paraná.

A filha do ministro, deputada estadual Maria Victória (PP), concorreu à prefeitura de Curitiba, mas não teve nem 6% dos votos no primeiro turno. A representante da família Barros na capital amargou a quarta colocação entre os candidatos.

Membros da família do ministro ocupam cargos públicos eleitos no Paraná desde as eleições de 1994, quando o atual ministro foi eleito deputado federal. Antes disso, o próprio Ricardo Barros já tinha sido prefeito de Maringá (eleito em 1988) e seu pai, Sílvio Magalhães Barros, trilhava carreira política como vereador, prefeito e deputado estadual na década de 70.

Atualmente, além do irmão e da filha, a esposa do ministro, Cida Borghetti (PROS), ocupa o cargo de vice-governadora do Estado no governo de Beto Richa (PSDB). (Matheus Lara, especial para o Estado)

Mais conteúdo sobre:

Eleição municipal