Ministério terá setor de combate à corrupção

Ministério terá setor de combate à corrupção

Coluna do Estadão

24 de dezembro de 2018 | 05h00

Futuro ministro Tarcísio Freitas ao lado do presidente eleito Jair Bolsonaro Divulgação/Equipe de Transição

Responsável por obras bilionárias, o novo Ministério da Infraestrutura criará um setor voltado especificamente para o combate à corrupção. A Subsecretaria de Governança e Integridade vai supervisionar as decisões tomadas dentro da pasta e o cumprimento de diretrizes. “Por ser estratégico para o País, o setor de infraestrutura sofre de tentativas de influência para se obter vantagens individuais em detrimento dos anseios da sociedade. Os servidores precisam estar preparados e alertados”, explica o futuro secretário executivo, Marcelo Sampaio.

Cara crachá. A nova subsecretaria também vai elaborar um protocolo para o processo seletivo de servidores, com a criação de um banco de talentos. O objetivo é fazer com que os cargos sejam ocupados por servidores com o “perfil apropriado”. O responsável ainda não foi escolhido, mas deve ser um delegado.

Liga da Justiça. O futuro Ministério da Infraestrutura também vai firmar parcerias com a Polícia Federal e a Controladoria-Geral da União (CGU) no combate à corrupção, fraude e lavagem de dinheiro.

Missão dada. Jair Bolsonaro determinou que o 13.º do Bolsa Família seja pago já em 2019. O deputado Lelo Coimbra, que será responsável pelo programa, vai conversar com Paulo Guedes para ver se há espaço no orçamento, e está disposto a cortar gastos para que seja possível a despesa.

Criança mais feliz. O programa Criança Feliz, criado no governo do presidente Michel Temer, será mantido na gestão Bolsonaro com alterações. A ideia é permitir que a prestação de contas seja feita somente no fim do ano para agilizar os repasses para os municípios conveniados.

Drible. Dentro da Procuradoria-Geral da República, a aposta é que o Congresso pode votar a emenda constitucional que garante a prisão após segunda instância antes do dia 10 de abril, data em que o tema entra em julgamento no Supremo.

O troco. Seria uma reação ao ministro Marco Aurélio, que, horas antes do recesso do Judiciário, concedeu liminar que poderia soltar os presos nessa condição, derrubada horas depois.

SINAIS PARTICULARES — A SÉRIE

OS NOVOS MINISTROS

Tereza Cristina, Agricultura; por Kleber Sales.

Na… O Coaf considerou suspeitos repasses de R$ 259 mil do advogado Mário Márcio, assessor do deputado estadual Tio Carlos, ao vereador Marcelo Siciliano (PHS), investigado pela morte de Marielle Franco.

…lupa. Segundo a Operação Furna da Onça, que mira esquema de pagamento de mesada na Alerj, o assessor tem renda de R$ 20 mil.

Com a palavra. Siciliano diz que Mário administra seus imóveis e que, se o dinheiro foi mesmo depositado, foi repasse de aluguéis. Mário não foi localizado.

CLICK. O ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, pediu bênção para os programas sociais do Brasil ao papa Francisco, em audiência no Vaticano.

Data marcada. A união do PPS com a Rede ficou para 2019 e, se tudo der certo, será em março. O senador Cristovam Buarque (PPS-DF), não reeleito, preparou uma lista de compromissos. “Estou com medo de que fiquem discutindo a burocracia da fusão, e não o programa”, disse.

Sabático. Após dois mandatos, o senador afirmou que fará “pequenos sabáticos” a partir de janeiro. “Vou escrever, ler e viajar”, afirmou. África do Sul e China estão na lista.

PRONTO, FALEI! 

Foto: Gustavo Lima / Divulgação / Divulgação

“Não vou gastar um centavo para construir gabinetes. Os novos vão ter que contar com a sorte”, Fernando Giacobo, primeiro-secretário da Câmara dos Deputados, sobre queixa dos novatos acerca do sorteio de gabinetes.

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E JULIANA BRAGA. COLABORARAM RAFAEL MORAES MOURA E VERA ROSA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao