Ministério Público afirma que Garotinho praticou corrupção 15 mil vezes

Ministério Público afirma que Garotinho praticou corrupção 15 mil vezes

O ex-governador do Rio foi preso hoje, 16, em sua casa no Flamengo, zona sul da cidade

Coluna do Estadão

16 de novembro de 2016 | 15h30

Foto: Wilton Junior/Estadão

Foto: Wilton Junior/Estadão

O Ministério Público Eleitoral alega que Anthony Garotinho, ex-governador do Rio preso hoje, 16, na Operação Chequinho da Polícia Federal, praticou 15 mil vezes o crime de corrupção eleitoral. Para tanto, o político teria se associado a vereadores e outros agentes públicos.

O secretário de Governo de Campos dos Goytacazes, cidade do norte fluminense, foi preso por volta das 10h30 pela Polícia Federal em sua casa no Flamengo, zona sul do Rio. Ele é acusado de coagir testemunhas, que haviam confessado à PF que houve compra de votos na eleição para Campos. Essas mesmas testemunhas deram entrevista à rádio de Garotinho e negaram a denúncia, mas relataram depois à PF que foram obrigadas a mentir.

Ainda segundo a denúncia, Garotinho teria comprado votos de eleitores, sobretudo os de baixa renda, para eleger 11 vereadores aliados a ele. (Andreza Matais e Mariana Diegas)

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

Anthony Garotinho

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.