Ministério de Minas e Energia tenta criar 200 cargos em nova estatal do governo Bolsonaro

Ministério de Minas e Energia tenta criar 200 cargos em nova estatal do governo Bolsonaro

Camila Turtelli e Matheus Lara

29 de janeiro de 2022 | 05h00

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, em julho de 2021. Foto: Adriano Machado/Reuters

O Ministério de Minas e Energia pediu à pasta da Economia autorização para criar cerca de 200 cargos na Empresa Brasileira de Participações em Energia Nuclear e Binacional (ENBpar), segundo apurou a Coluna. A binacional é a segunda estatal que nasceu sob o governo Jair Bolsonaro, em setembro de 2021. A ENBpar foi criada apenas para permitir a privatização da Eletrobras e absorver as funções de Itaipu e da Eletronuclear, subsidiárias que precisam ser mantidas sob domínio integral da União devido a exigências legais. A Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Sest), no entanto, considerou a solicitação um pouco exagerada e deu aval apenas a 27 cargos.

CABIDE. A estrutura de Itaipu e Eletronuclear não sofrerá qualquer mudança interna, o que torna questionável a quantidade de cargos solicitados. A pasta não negou ter pedido 200 cargos e informou que solicitou o que julgava ser “suficiente”. Ainda disse que o número final de cargos necessários ainda está em análise.

FALANDO NISSO. O ex-deputado federal Aldo Rebelo disse que a proposta defendida por Paulo Guedes de criar um sistema para indicar os padrinhos políticos de indicados para cargos no governo é só mais um capítulo da briga do ministro com o Centrão.

PATINETE ELÉTRICO. “A maior madrinha das indicações de diretores do Banco Central e dos secretários de política econômica é a Faria Lima”, criticou Rebelo. O governo já tem um sistema interno que identifica os “padrinhos” de indicados.

O QUE É ISSO… Em negociação para se filiar ao PT e concorrer ao governo do Paraná, Roberto Requião fez duras críticas ao partido e disparou que a fidelidade à sigla deve se dar “com reservas”. Ele até desculpas pela “franqueza” a filiados com quem conversou em encontro online esta semana.

…COMPANHEIRO? “Se o PT é um credo, não tem lugar para mim. Não sou discípulo deste credo”, disse Roberto Requião. “Eu era senador apoiando o governo, mas me opondo à política econômica. Nunca passou pela minha garganta (Henrique) Meirelles, Joaquim Levy e Nelson Barbosa propondo políticas liberais”.

CLICK. Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente da República

Em crowdfunding para angariar recursos para a reforma de sua sede, o movimento Livres vendeu a R$ 2 mil quadros com cédulas de um real autografadas por lideranças envolvidas no Plano Real.

UM REAL POR R$ 2 MIL. Além de FHC, os ex-presidentes do BC Pedro Malan, Persio Arida e Gustavo Franco, o ex-presidente do BNDES Edmar Bacha e o ex-ministro Rubens Ricupero assinam os vinte quadros vendidos pelo Livres. “A nossa sede, a Casa Livres, será um hub de inovação política liberal no Brasil”, afirma Magno Karl, diretor-executivo da organização.

PARTICIPAÇÃO. Os compradores dos quadros participarão da escolha do nome da Casa Livres e terão seus nomes gravados em painel na parede da Casa, junto a outros apoiadores que escolherem outras categorias de participação na campanha.

VAMOS LÁ. A Frente Nacional de Prefeitos pretende discutir na semana que vem a judicialização do aumento do piso salarial dos professores em 33,24%. Outra opção na mesa é orientar prefeitos a dar reajuste menor.

5 CURIOSIDADES… Políticos não deixaram de participar da última moda das redes sociais e fizeram listas com cinco peculiaridades de suas vidas. A Coluna mostrará algumas.

…SOBRE MIM. Entre as confissões mais inusitadas, aparece o relato da ex-senadora e ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva (Rede) sobre já ter interpretado um cacto em uma peça de teatro.

PRONTO, FALEI! João Amoêdo, ex-presidente do Novo

“O presidente Jair Bolsonaro foge da Justiça. Descumprir ordem judicial é crime de responsabilidade. Mais um. Em um país sério, não deveria ficar impune”

COLABORARAM EDUARDO GAYER E VERA ROSA.

ALBERTO BOMBIG ESTÁ DE FÉRIAS E RETORNA À ‘COLUNA DO ESTADÃO’ NO DIA 16 DE FEVEREIRO

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.