Ministério da Justiça leiloa mais de mil bens apreendidos do tráfico e arrecada R$ 9,5 mi

Ministério da Justiça leiloa mais de mil bens apreendidos do tráfico e arrecada R$ 9,5 mi

Mariana Haubert

15 de maio de 2020 | 13h04

Palácio da Justiça. Foto: Divulgação

O Ministério da Justiça e Segurança Pública realizou 26 leilões em nove Estados em que foram vendidos mais de mil bens apreendidos de traficantes de drogas. No total, foram arrecadados cerca de R$ 9,5 milhões em pouco menos de um ano. O montante será destinado para programas de prevenção ao uso de drogas, de combate ao tráfico e para a manutenção das forças policiais.

A ação é parte de um dos projetos prioritários da Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas (Senad) e contribui para a destinação de recursos ao Fundo Nacional de Drogas (Funad). Além disso, até 40% do valor arrecadado nos leilões será destinado às forças policiais que apreenderam os bens. O recurso pode ser utilizado para compra de equipamentos e para apoio estrutural da polícia.

De acordo com o ministério, carros, motos, caminhões e embarcações foram os itens que mais atraíram os compradores. Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul arrecadaram, juntos, R$ 4,6 milhões. Já Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo R$ 3,6 milhões. Mato Grosso arrecadou, em dois leilões, R$ 1 milhão enquanto Tocantins alcançou o montante de R$115 mil.

Desde o início da pandemia, os leilões tem sido realizados virtualmente e são abertos a qualquer pessoa. Os lances iniciais correspondem a metade do preço de mercado. O comprador estará isento de possíveis cobranças retroativas do item.

Outro projeto, previsto para ser entregue ainda este ano, é a construção do primeiro Centro de Desenvolvimento de Cães Farejadores, em Brasília. O centro será instalado no complexo da Polícia Rodoviária Federal e vai auxiliar na capacitação de agentes que estão à frente de operações com cães em todos o país.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

DrogasMinistério da Justiça

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: