Maioria do STF rejeita pedido de liberdade de Eduardo Cunha

Maioria do STF rejeita pedido de liberdade de Eduardo Cunha

.

Luiza Pollo

15 de fevereiro de 2017 | 17h39

Foto: André Dusek/Estadão

Foto: André Dusek/Estadão

Eduardo Cunha vai continuar preso. Pelo placar de 8 votos a 1, a maioria do Supremo decidiu na tarde de hoje negar o pedido de liberdade feito pela defesa do ex-presidente da Câmara. Os ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux, Dias Toffoli, Celso de Mello, Cármen Lúcia e Gilmar Mendes votaram a favor da manutenção da prisão do político. Marco Aurélio Mello foi o único a concordar com a liberdade.

A defesa do ex-deputado questionava a decisão do juiz Sérgio Moro, alegando que ele descumpriu uma decisão do STF ao determinar a prisão de Cunha. Segundo os advogados, Moro não poderia ter decidido a prisão de Eduardo Cunha baseado nos mesmos fatos que o STF determinou seu afastamento da Câmara dos Deputados.

Eduardo Cunha está preso desde outubro de 2016. Ele é réu em três ações ligadas a operação Lava Jato. Na ação que o levou a prisão, ele é acusado de  ter recebido R$ 5 milhões em propina advinda de dinheiro de contratos da exploração de petróleo da Petrobrás na África.

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao

Tudo o que sabemos sobre:

Eduardo Cunha

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.