Maiores colégios eleitorais indicam fracasso da campanha antivax de Bolsonaro

Maiores colégios eleitorais indicam fracasso da campanha antivax de Bolsonaro

Alberto Bombig e Matheus Lara

14 de outubro de 2021 | 05h00

Para além do constrangimento a que expõe o Brasil, Jair Bolsonaro faz aposta arriscada ao não se vacinar contra a covid-19, a um ano da eleição: até agora os brasileiros mostram que os discursos contra os imunizantes não fazem sucesso no País. Ou seja, apesar de eficiente para angariar apoiadores radicais e mobilizá-los nas tertúlias virtuais, a atitude antivax tem tudo para ser rechaçada nas urnas: os maiores colégios eleitorais (São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Salvador e Fortaleza) já se aproximam de 100% de vacinados com ao menos uma dose.

Foto: Adriano Machado/Reuters

Alta. Os dados oficiais nessas capitais são animadores em termos de adultos vacinados: em São Paulo, 100%; no Rio, são 99,8%; Salvador e Fortaleza já chegaram a 94%; e Belo Horizonte está em 81,7%.

Explica-se. “É estranho Bolsonaro se apresentar à reeleição e não se atentar às pessoas. Ele está na contramão da opinião pública. Não à toa cresce sua rejeição. É uma tendência. Uma resposta do eleitorado”, diz o cientista político José Álvaro Moisés, da USP.

Presta… Enquanto segue à risca a cartilha de Steve Bannon (o ex-estrategista de Donald Trump) em discursos e narrativas, Bolsonaro parece deixar passar batido o fato de que o comportamento brasileiro é diferente do que tem acontecido nos Estados Unidos.

…atenção. Por lá, o discurso antivacina de trumpistas está entre os fatores que têm feito a vacinação desacelerar e empacar no patamar de 60% a 66%.

Falando nisso. O município de Viana (ES) está há 42 dias sem registrar mortes por covid-19, resultado que tem sido comemorado por quem acompanha os testes com as meias doses da vacina AstraZeneca.

Laboratório. Em Viana, 20 mil voluntários participam do estudo da Ufes e da Fundação Oswaldo Cruz, que em testes preliminares já verificou a indução de anticorpos contra a covid-19 com as doses reduzidas.

CLICK. Toninho Vespoli (PSOL), à direita, ‘grudou’ no relator da reforma da previdência paulistana, Rubinho Nunes (PSL), reclamando da velocidade da ‘leitura dinâmica’.

Nutella. “Viralizou” o vídeo do Gabinete dos Bichos. Na peça da campanha #OBrasilNãoÉBrinquedo, o presidente é retratado como um menino birrento, folgado e muito belicoso. Aos poucos a oposição aprende a jogar no campo preferido do presidente, a internet.

SINAIS PARTICULARES. Jair Bolsonaro, presidente da República. Ilustração: Kleber Sales/Estadão

Correção. A Coluna errou na edição da quarta-feira, 13, ao dizer que falta quase um ano para a próxima campanha eleitoral. Na verdade, falta pouco mais de um ano para o final de todo o processo eleitoral de 2022.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG E MATHEUS LARA

PRONTO, FALEI!

Silas Malafaia, pastor

“Ciro Nogueira, Flávia Arruda e Fábio Faria são ministros políticos, são obrigados a trabalhar em favor de Mendonça no STF. Não querem? Caiam fora.”

Foto: Dida Sampaio/Estadão

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.